Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/93
Título: A Qualidade de Vida do Idoso e as Influências que têm sobre ela a Domiciliação e as Construções do Idoso sobre os Problemas com a Família
Autor: Teixeira, Rui Manuel de Oliveira Campos
Palavras-chave: Qualidade de vida do idoso
Data de Defesa: 2004
Editora: [s.n.]
Resumo: O aumento da longevidade do idoso é um dado adquirido. Já esse aumento da longevidade não tem sido acompanhado por um aumento da qualidade de vida nessas idades de forma tão pronunciada. Dentro dos factores que interferem com essa qualidade de vida, são os conflitos que surgem nas relações intergeracionais do idoso com a sua família os mais proeminentes. Opinião semelhante é manifestada por Aranda e Horna (2002) que refere que problemas familiares estão relacionados com maustratos. Um outro é a domiciliação do idoso (no Seio Familiar ou no Lar). Os objectivos deste trabalho foram o de estabelecer qual a relação entre a qualidade de vida do idoso e as construções do idoso sobre os problemas com a sua família e o de avaliar comparativamente os sistemas de domiciliação dos idosos (no Meio Familiar ou em Lares de Idosos) no que concerne à qualidade de vida sentida por eles. Foram definidas, para um 1º objectivo, as variáveis Qualidade de Vida (QV), uma variável ordinal quantificada pela escala do Perfil de Qualidade de Vida - Idosos de Raphael, Renwick e Brown (1996) e As Construções do Idoso sobre os Problemas com a Família que é uma variável ordinal quantificada através da Escala de Construções dos Problemas (CPS) de Heathrington et al. (1998); para um 2º Objectivo utilizaram-se Qualidade de Vida, enquanto variável dependente e a Domiciliação do Idoso, enquanto variável do tipo qualitativo dicotómica. Trata-se de um estudo do tipo correlacional para o 1º objectivo, através de uma correlação de Pearson, e ex-post-facto-prospectivo, com análise comparativa, no 2º objectivo, através do teste t de Student. vi Os resultados para o 1º objectivo confirmam a existência de uma correlação negativa significativa entre as variáveis QV e CPS que foi fraca para o valor global do teste (r = -0,228), e foi forte e negativa quando se comparou com a sub-escala dos Outros e Interpessoal (r = -0,657) e forte e positiva quando se comparou com a subescala do Self (r = 0,648). Para o 2º objectivo, encontrou-se uma diferença significativa entre os idosos domiciliados no Seio Familiar e os domiciliados nos Lares com um t = - 22,802 e uma significância de p<0,01. Concluiu-se neste estudo, de acordo com os estudos de Aranda e Horna (2002) e de Santos, S., Santos, I., Fernandes e Henriques (2002), que existe uma correlação forte e positiva entre qualidade de vida e as construções sobre os problemas da família atribuíveis à sub-escala Self, e forte e negativa com as construções atribuíveis à subescala Outros e Interpessoal. Por outro lado, a qualidade de Vida dos idosos a viver no Seio Familiar é maior dos que a dos que estão institucionalizados de acordo com os resultados de Queen e Freitag (1978) e de Noro e Aro (1996).
Descrição: Dissertação apresentada à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Psicologia, com especialização em Psicologia da Saúde e Intervenção Comunitária.
URI: http://hdl.handle.net/10284/93
Aparece nas colecções:FCHS (DCPC) - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM.pdf1,9 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.