Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/92
Título: Vivências de sofrimento psíquico e prazer do trabalhador-enfermeiro aquando da tarefa primária, o cuidar, nos Centros de Saúde
Autor: Silva, Maria Manuela Gomes da
Orientador: Madeira, Milton
Palavras-chave: Sofrimento psíquico
Cuidados de Enfermagem directos a clientes
Data de Defesa: 2004
Editora: [s.n.]
Resumo: Fundamentando-se na Psicodinâmica do Trabalho, a nível da abordagem teórica, tendo por base os estudos desenvolvidos por Dejours (1992), pretendeu-se com este estudo analisar o sofrimento psíquico e o prazer do trabalhador-enfermeiro no contexto de trabalho dos Centros de Saúde, centrado na sua tarefa primária: o Cuidar. Esta pesquisa de natureza qualitativa foi realizada num Centro de Saúde da Sub-Região de Saúde de Braga, onde participaram oito enfermeiros que prestam cuidados de Enfermagem directos a clientes, considerada como tarefa primária. Os dados obtidos, pela técnica da entrevista individual semi-estruturada, foram submetidos à técnica de análise de conteúdo, com o auxílio do programa informático QSR NUD*IST, versão 6. Pela análise dos discursos dos entrevistados, constatou-se que o trabalho exercido por estes profissionais de Enfermagem acarreta-lhes efectivamente sofrimento psíquico e, em menor escala, prazer. No que se refere às causas geradoras de sofrimento psíquico, identificaram-se dois agentes principais: a) o número excessivo de clientes por enfermeiro e o consequente ritmo de trabalho que produzem uma sobrecarga de trabalho; e, b) a lacuna na formação de base dos enfermeiros a nível das relações interpessoais e comunicacionais produzem um envolvimento emocional no acto de Cuidar do cliente e sua família, bem como dificuldades em lidar com as situações de doença prolongada/terminal e com o sofrimento e a morte dos clientes. No que se refere ao prazer, este surge agremiado à possibilidade que os enfermeiros têm, ao executar a tarefa primária, poder no seu acto de cuidar e assim exercer efectivamente a sua profissão, em ajudar os clientes e verificar a recuperação do estado clínico dos mesmos. Em suma, a presente dissertação, por um lado, resgatou a necessidade das organizações de trabalho e das instituições de formação apostarem neste tipo de investigação em Portugal, sobretudo no que toca ao papel da formação a nível das relações interpessoais e comunicacionais; e, por outro lado, constituiu um importante subsídio para a discussão acerca do papel da organização do trabalho, sobretudo no que concerne à tarefa primária, no que se refere esta ao excessivo número de clientes por profissional aquando da prestação de cuidados.
Descrição: Dissertação apresentada à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Psicologia.
URI: http://hdl.handle.net/10284/92
Aparece nas colecções:FCHS (DCPC) - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM.pdf1,11 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.