Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/810
Título: O impacto da vida em instituições
Outros títulos: narrativas e significados em crianças vítimas de maus tratos
Autor: Gonçalves, Liliana Patrícia da Costa Monteiro
Orientador: Fonte, Carla
Data de Defesa: 2008
Editora: [s.n.]
Resumo: Todas as crianças deveriam ter a oportunidade de viver uma infância feliz, construindo assim o acesso a um desenvolvimento equilibrado. No entanto, a existência de certos condicionalismos vêm destruir essa possibilidade. Os maus tratos são disso um exemplo, causando sofrimento a estas crianças, que se vêem numa situação de desamparo tanto a nível afectivo, como na prestação dos cuidados essenciais para a sua sobrevivência. Torna-se assim pertinente a procura incessante de uma solução capaz de as proteger e as colocar numa situação mais favorável, para que de desenvolvam de forma adequada. A institucionalização, quando não se afigura possível outra solução, é frequentemente a opção seguida em muitos destes casos. Com o objectivo de estudar as narrativas e o significado que a institucionalização tem nas suas vidas, realizou-se uma investigação que incidiu sobre um grupo de crianças institucionalizadas, da Fundação Stela e Oswaldo Bomfim. Este grupo foi constituído por 9 crianças (6 do sexo masculino e 3 do sexo feminino), com idades compreendidas entre os 10 e os 15 anos, retiradas do seio familiar, uma vez que este não oferecia as condições necessárias para o seu desenvolvimento adequado. Para a recolha de dados junto destas crianças, utilizou-se a entrevista qualitativa, uma vez que esta se apresentou como a forma mais eficaz para a obtenção de informação. As teorias narrativas e a Folk Psychology, estiveram presentes ao longo deste trabalho, que para a sua implementação, recorreu às metodologias qualitativas, nomeadamente à Grounded Theory, revelando-se preciosos instrumentos de investigação, uma vez que auxiliaram na conclusão e obtensão dos resultados. Através desta investigação concluiu-se que, apesar da existência de consequências negativas para além das positivas, esta problemática não é condição sine qua non para que haja um impacto negativo da vida em instituição. Para estas crianças a institucionalização na Fundação Bomfim revelou-se a solução mais adequada, tendo sido mais favorável do que permanecer junto dos progenitores irresponsáveis e incapazes de proporcionar às suas crianças, toda a protecção a que estas têm direito. Além disso, os próprios menores têm consciência destes benefícios, uma vez que reconhecem a importância que esta decisão teve para as suas vidas.
Descrição: Monografia apresentada à Universidade Fernando Pessoa, como parte dos requisitos para obtenção do grau de licenciada em Psicologia, especialização em Psicologia Clínica
URI: http://hdl.handle.net/10284/810
Aparece nas colecções:FCHS (DCPC) - Outros Trabalhos Académicos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Monografia.pdf853,27 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.