Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/714
Título: Porto e Gaia, a ilusão sobre a fusão
Autor: Babo, António Pérez
metadata.dc.contributor.other: dir. Álvaro Monteiro
Palavras-chave: eficiência
investimento
equilíbrio
vontade
liderança
efficiency
investment
balance
will
leadership
Data: 2004
Editora: Fundação Ensino e Cultura Fernando Pessoa
Citação: A obra nasce: revista de arquitectura da Universidade Fernando Pessoa. Porto. ISSN 1645-8729. 2 (2004) 40-53.
Relatório da Série N.º: A obra nasce: revista de arquitectura da Universidade Fernando Pessoa
2
Resumo: O tema proposto é do campo da especulação; a fusão entre Porto e Gaia é um cenário inverosímil e porventura desnecessário. Uma solução com números equilibrados corresponderia à divisão de Gaia em duas partes: a cidade alargada que passaria para a bandeira do Porto; a restante parte a necessitar de nova sede para a mesma bandeira. Esta solução poderia ser avaliada sob várias perspectivas: composição do investimento público nos concelhos reformatados; nível de eficiência autárquica; evolução da despesa. E do lado do investimento privado o que poderia acontecer? Uma repartição pelas duas margens em mercados fundiários equilibrados ou, pelo contrário, maior concentração a Norte. Em suma, o equilíbrio entre as duas margens aumentaria ou seria mais desigual? Afinal quais são os impedimentos à gestão comum (concertação) dos temas de dimensão supramunicipal: simplesmente vontade, ou também maior nível organizacional? O problema do Porto, ou do seu cerco por um espaço metropolitano que já não respeita a cidade central, reside na incapacidade de gerar uma liderança a essa escala ou à escala regional, as únicas onde será possível encontrar soluções para as questões estruturantes adiadas. E essa liderança necessita de expressão de governação democrática. The proposed theme is matter of speculation; the joining between Porto and Gaia is unplausible, and perhaps unnecessary scenery. An equilibrated solution would mean the division of Gaia in two parts: the enlarged town that would pass to the Oporto flag; the remaining part needing a new seat for the same flag. This solution could be evaluated under several views: composition of the public investment in the reshaped municipalities; level of autarchic efficiency; evolution of expenses. From the private investment side what could then occur? A division between the two banks in equilibrated real estate markets, or a bigger concentration at North bank. In short, would the banks balance increase or become more unequal? After all, which are the obstacles to the common managing (agreement) of supramunicipality themes: only desire, or also a bigger organizing level? The Oporto problem, or better saying, the inner town siege by a metropolitan space that doesn’t respect it anymore, is the incapacity of generating a leadership at that or at regional scale, where it would be possible to find the solutions to the postponed structural questions. And that leadership needs the expression of democratic government.
URI: http://hdl.handle.net/10284/714
ISSN: 1645-8729
Aparece nas colecções:A Obra Nasce - Nº 02 (Dez. 2004)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
40-53Pages from A Obra Nasce n_02.pdf740,91 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.