Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/680
Título: Acções Autónomas de Enfermagem
Outros títulos: ganhos em Saúde
Autor: Araújo, Nuno Miguel Faria
Orientador: Martins, Maria Manuela
Data de Defesa: 2008
Editora: [s.n.]
Resumo: Nos últimos anos, as alterações ocorridas na prestação de serviços de saúde têm afectado os papéis, as expectativas e as práticas dos grupos profissionais, sendo hoje importante potenciar a imagem que demarca a sua acção diferenciada e os seus contributos na obtenção de ganhos em saúde dirigidos à população. A reestruturação das políticas de saúde na obtenção de ganhos deve englobar e nunca prescindir destes contributos para o stock de saúde de cada indivíduo ou população. Este estudo tem como finalidade compreender alguns dos contributos dos cuidados de enfermagem na obtenção de ganhos em saúde para a população e saber se na evidência destes contributos é possível influenciar a lógica estratégica da gestão nas organizações de saúde. A natureza triangulada de métodos para a concretização do estudo fez com que dirigíssemos seis entrevistas a peritos, sobre as quais decorreu uma análise de conteúdos seguida de uma colheita de dados pós internamento a 113 processos de doentes com três momentos de análise: um no dia da admissão o segundo no dia médio de internamento e o último no dia da alta. A análise teve por base uma grelha de observação de acordo com as variáveis em estudo e a operacionalização das actividades de enfermagem autónomas e interdependentes foi quantificada a partir dos dados do Sistema de Classificação de Doentes por Graus de Dependência de Cuidados de Enfermagem. Seguindo como orientação os objectivos e as questões de investigação concluímos que existe dependência entre as acções autónomas de enfermagem e os diferentes grupos de diagnóstico médico. Os grupos de diagnóstico respiratório e infeccioso apresentam necessidades na dependência em ajuda total em todas as acções autónomas de enfermagem. A acção autónoma onde os grupos de diagnóstico apresentam maiores níveis dependência é a higiene, e a que por grupo de diagnóstico são mais independentes é a alimentação. Podemos concluir também que a dependência nas acções autónomas de enfermagem varia pouco ao longo do internamento sendo que as horas de cuidados de enfermagem são o factor que mais influencia os custos globais por doente. Encontramos neste estudo evidencia para algumas políticas de saúde com a indicação de alguns dados que podem suportar medidas de gestão de recursos, na medida das necessidades da população, bem como uma nítida necessidade de dar continuidade nos cuidados de enfermagem após o internamento.
Descrição: Dissertação apresentada à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Ciências Empresariais
URI: http://hdl.handle.net/10284/680
Aparece nas colecções:FCHS (DCEC) - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TESE.pdf1,61 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.