Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/5130
Título: Manifestações orais em crianças em tratamento oncológico
Autor: Abreu, Ana Isabel Alves
Orientador: Crespo, Manuela
Palavras-chave: Cancro
Crianças
Leucemia
Linfoma
Oral manifestation
Manifestações orais
Radioterapia
Quimioterapia
Childhood
Leukemia
Limphoma
Oral manifestations
Radiotherapy
Chemotherapy
Data de Defesa: 2015
Editora: [s.n.]
Resumo: Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) de 2012 demonstram que a incidência de cancro a nível mundial tem vindo a aumentar, e referem cerca de 14 milhões de novos casos por ano. O cancro infantil representa 0,5% a 4,6% de todos os cancros, variando a sua taxa de incidência entre 50 a 200 novos casos, por milhão de crianças, em todo o mundo. Nos países ocidentais, os protocolos terapêuticos antineoplásicos atualmente empregues melhoram de forma significativa as taxas de sobrevivência do cancro, agravando contudo a morbidade nos pacientes. Na cavidade oral, a terapia oncológica é responsável por efeitos adversos agudos e também por complicações a longo prazo. Nas crianças estas manifestações orais são ainda mais prevalentes que nos adultos e contribuem para a morbilidade e até mesmo para a mortalidade destes doentes. Pretendeu-se assim, com este trabalho, realizar uma revisão sistemática de literatura científica, publicada nos últimos 15 anos, acerca das complicações orais do tratamento oncológico em crianças. Bem como, compilar diretrizes de atuação clínica para orientar o médico dentista no atendimento destes doentes. Durante os meses de Janeiro a Maio de 2015, procedeu-se a uma ;pesquisa bibliográfica nas bases de dados PubMed e B-on, sendo consultados também outros bancos de dados como LILACS – BIREME, SciELO, utilizando as seguintes palavras chave: cancer, children, leukemia, limphoma, “oral manifestations”, radiotherapy, chemotherapy; separadas ou associadas pelo operador de pesquisa, booleano AND. Na pesquisa foram empregues os seguintes limites: artigos publicados nos últimos 15 anos, abstract disponível, estudos em humanos e artigos e língua inglesa, portuguesa e espanhola. Desta pesquisa resultou um total de 116 artigos que foram selecionados primeiramente pelos títulos, seguidamente pela leitura dos abstracts e, finalmente, do artigo por inteiro, obtendo-se assim 68 artigos, para revisão. Foram ainda considerados artigos de referência publicados em anos anteriores, livros de texto médicos e publicações portuguesas com dados epidemiológicos sobre cancro infantil em Portugal. Os efeitos colaterais agudos e crónicos, da terapia antineoplásica, mais frequentemente observados na cavidade oral são então: mucosite, hemorragia oral, disgeusia, infeções oportunistas, disfunção das glândulas salivares, cárie dentária, neurotoxicidade, osteorradionecrose, disfunção na articulação temporomandibular e anomalias do desenvolvimento dentário e craniofacial. O médico dentista desempenha portanto um papel fundamental na prevenção diagnóstico e tratamento dessas complicações. Logo, estas crianças deverão ser incluídas, antes mesmo de iniciar a oncoterapia, num rigoroso programa de acompanhamento médico-dentário, que deve prolongar-se mesmo depois de terminado o tratamento do cancro. Idealmente, estes programas deverão ter lugar nas próprias instituições de cuidados de saúde oncológicos, para promover a estreita colaboração do médico dentista com os restantes membros da equipa oncológica, e assim garantir cuidados orais e aconselhamento especializado, que contribuirão para melhorar a sua qualidade de vida e para a diminuir a morbilidade e mortalidade. World Health Organization (WHO) data from 2012 show that cancer`s incidence has been globally increasing, and mentions around 14 million new cases a year. Childhood cancer represents from 0.5% to 4.6% of all cancer, with an incidence rate between 50 to 200 new cases per million children worldwide. In western countries, currently used antineoplastic therapeutic protocols have improved significantly cancer surviving rates, yet increasing, patients’ morbidity. Oncological therapy is responsible for acute adverse effects and long-term complications in the oral cavity. In children, these oral manifestations are even more prevalent than in adults and contribute to their morbidity and mortality. Therefore, this works objective was to conduct a systematic review of scientific literature published in the last 15 years, about the oral complications of oncological treatment in children. Furthermore, it was intended to gather guidelines on clinical procedures to guide the dentist in the care of pediatric oncological patients. During the months of January until March 2015, PubMed and B-on databases were sceened for Portuguese, Spanish and English abstact-free articles, published in the last 15 years, using the words: cancer, children, leukemia, lymphoma, ”oral manifestation”, radiotherapy, chemotherapy; separated or associated by the Boolean operator ”AND”. Other databases such as LILACS – BIREME, and SciELO were also used for the research aplling the same limitations and key words. 116 articles were found. Article selection was accomplished firstly by the title and abstract reading and finally, by full article analysis. A total of 68 articles were reviewed. For better understanding of the theme to develop, reference articles from previous years were also reviewed; Medical textbooks and epidemiological data on pediatric cancers in Portugal were also consulted. The acute and chronical side effects of anti-neoplastic therapy, more frequently observed in the oral cavity are: mucositis, oral bleeding, dysgeusia, opportunistic infections, salivary gland dysfunction, dental caries, neurotoxicity, osteoradionecrosis, temporomandibular joint dysfunction and dental and craniofacial growth anormalities. So, it is unquestionable the dentist`s malor role in the diagnosis, prevention and treatment of these complications. Therefore, before starting the oncological therapy, children should enter a strict dental monitoring program, that must be extended even after completing cancer treatment. Ideally, these dental programs should take place in the oncologic healthcare institutions, in order to promote dentist and oncological team close cooperation and ensure professional oral care and expert advice. Implementing these measures will be a strong asset towars improving pediatric oncological patients` quality of life and in decreasing their morbidity and mortality.
Descrição: Projeto de Pós-Graduação/Dissertação apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Medicina Dentária
URI: http://hdl.handle.net/10284/5130
Aparece nas colecções:FCS (DCM) - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
PPG_23297.pdfPPG_232971,22 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.