Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/4848
Título: A influência dos principais factores de risco cardiovascular nos AVCs e consequente perturbação da linguagem adquirida
Outros títulos: afasia no adulto
Autor: Ferreira, Elisabete Duarte
Orientador: Martins, Luís
Palavras-chave: Factores de Risco Cardiovascular
AVC
Afasia
Cardiovascular Risk Factors
Stroke
Aphasia
Data de Defesa: 2013
Editora: [s.n.]
Resumo: Introdução: O acidente vascular cerebral (AVC) constitui um dos principais problemas de saúde pública, de morbimortalidade e de incapacidade prolongada. As alterações decorrentes do AVC incluem os défices motores, os défices cognitivos e as perturbações da linguagem adquirida, tal como a afasia. Foi seleccionada a afasia, uma vez que é a sequela comunicacional mais comum decorrente do AVC. Assim, o tema do presente trabalho é a influência dos principais factores de risco cardiovascular nos acidentes vasculares cerebrais (AVC`s) e consequente perturbação da linguagem adquirida: afasia no adulto, que teve como objectivos caracterizar os principais factores de risco cardiovascular associados ao AVC; caracterizar a afasia associada ao AVC; identificar os principais critérios de referenciação para a terapia da fala; e identificar a percepção do utente sobre o estado comunicacional pós-AVC. Participantes e Métodos: O estudo é transversal e os instrumentos de recolha de dados utilizados foram: o questionário; a Bateria de Avaliação de Afasia de Lisboa (BAAL); e o Mini-Mental State Examination (MMSE). A amostra deste estudo foi constituída por 60 utentes de uma instituição de saúde, seleccionada por conveniência. O grupo A foi constituído por 20 indivíduos que não sofreram um AVC, não apresentam afasia, e não apresentaram critérios de referenciação para a terapia da fala; o grupo B foi formado por 20 indivíduos que sofreram um AVC, manifestam afasia, com critérios de referenciação para terapia da fala; e o grupo C, composto por 20 indivíduos que sofreram um AVC, manifestam afasia e não tinham critérios de referenciação para terapia da fala. Recorreu-se a uma análise univariada e multivariada, bem como a frequências relativas, para determinar os objectivos em estudo. Resultados: O presente estudo sugeriu que a probabilidade de um indivíduo sofrer um AVC aumenta com a idade (> a 65 anos; OR:14,0; IC 95%: 1,554 - 126,163; p= 0,019) e com a hipertensão arterial (HTA), (OR: 22,29; IC 95%: 2,379 – 208, 789; p= 0,007). Verificou-se que os tipos de afasia decorrentes do AVC mais frequentes foram: a afasia global (26,7%); a afasia anómica (25%); e a afasia transcortical motora (6,7%). Os critérios de referenciação para a terapia da fala mais frequentes foram a idade (15%); o tipo de défices da linguagem e de fala (6,7%) e o nível de consciência (5,0%). E por último 35% dos participantes consideram as suas dificuldades comunicacionais severas e 15% dos mesmos afirmam que as dificuldades comunicacionais são moderadas. Conclusões: Globalmente estes resultados sugerem que os factores de risco na base do AVC estão bem identificados e os benefícios alcançados com as estratégias de prevenção quer primária como secundária são claros. A qualidade de vida dos participantes com afasia é prejudicada, não só pelo comprometimento do estado de saúde geral, como também pelas consequências associadas. Assim, concluiu-se que a hipertensão arterial é a principal causa de AVC e que o comprometimento da funcionalidade comunicativa tem implicações para o indivíduo e para a sua família, uma vez que condiciona a sua indepêndencia e a sua participação nas actividades de vida diária (AVD`s) e que dependendo da idade e da severidade dos défices linguísticos associados, os participantes são referenciados para a terapia da fala, sendo que os critérios de referenciação necessitam de ser uniformizados para garantir o acesso aos cuidados de saúde adequados para todos os utentes com afasia. Introduction: Stroke is a major problem of public health, of morbility and mortality and long-term disability. The main changes that results from a stroke includes motor and cognitive deficits and acquired language disorders, such as aphasia. Aphasia was selected because it`s the most common communication`s consequence that results from the stroke. Thus, the purpose of the present study is to describe the influence of the main cardiovascular risk factors in stroke and subsequent acquired language disorder: aphasia in adults, which had as aims to characterize the main cardiovascular risk factors associated with stroke; characterize aphasia associated with stroke; identify the main selection criteria for referral to speech therapy; and identify the participantes perception of the post-stroke communicational status. Participants and Methods: The study is transversal and the data collection instruments used were: a questionnaire; the Bateria de Afasia de Lisboa (BAAL); and the Mini-Mental State Examination (MMSE). The sample was composed by 60 institutionalized individuals selected by pre-established criteria and investigator`s convenience. The group A consisted of 20 individuals who did not suffer a stroke nor have aphasia, or met the criteria for referral to speech therapy; group B consisted of 20 individuals who have suffered a stroke, have aphasia and criteria for referral to speech therapy; and group C, composed of 20 individuals who have suffered a stroke, aphasia and without criteria for referral to speech therapy. We used a univariate and multivariate analysis, as well as the relative frequencies to determined the study`s aims. We used a univariate and multivariate analysis, as well as the relative frequencies to determine the objectives for the study. Results: The present study suggested that the probability of an individual having a stroke increases with age (> 65 years, OR: 14,0; 95% CI: 1,554 to 126,163; p = 0.019) and hypertension (OR: 22,29; 95% CI: 2,379 to 208, 789; p = 0,007). It was found that the most common aphasia`s types resulting from stroke were global aphasia (26,7%); the anomic aphasia (25%); and motor aphasia transcortical (6,7%). The most frequent selection criteria for the referral to speech therapy were age (15%), type of deficits in language and speech (6,7%) and consciousness´s level (5,0%). And finally 35% of respondents considered their communication difficulties severe and 15% of them claim that communication difficulties are moderated. Conclusions: Overall these results suggest that the risk factors on the basis of stroke are well known, and the benefits achieved with primary and secondary prevention strategies are clear. The life´s quality is comprised not only by general health condition but also by the associated consequences. Thus, it was concluded that hypertension is the leading cause of stroke and the communicative functionality restrictions has implications for the individual and their family, as it conditions their independence and participation in the daily living`s activities and that depending on the age and severity of language deficits associated, participants are referred for speech therapy, and these need to be standardized to ensure the access to adequate health care for all individuals with aphasia.
Descrição: Trabalho de Projeto apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Terapêutica da Fala, área de especialização em Linguagem no Adulto
URI: http://hdl.handle.net/10284/4848
Aparece nas colecções:ESS (DCETS) - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
A influencia dos FRCV nos AVCs e consequente perturbação da lgg no adulto Afasia.pdfTP_119921,21 MBAdobe PDFVer/Abrir
Anexos Tese de Mestrado FRCV nos AVC e AFASIA.pdf307,46 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.