Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/4786
Título: Eficácia do treino dos músculos do pavimento pélvico no tratamento da incontinência urinária de esforço em jovens atletas
Outros títulos: um estudo clínico randomizado controlado
Autor: Azevedo, Raquel Marisa Freitas
Orientador: Viana, Rui
Roza, Thuane Huyer da
Palavras-chave: Incontinência urinária de esforço
Fisioterapia
Pavimento pélvico
Treino dos músculos do pavimento pélvico
Mulheres atletas
Stress urinary incontinence
Physical therapy
Pelvic floor muscle
Training pelvic floor
Women athletes
Data de Defesa: 2013
Editora: [s.n.]
Resumo: A literatura recente tem evidenciado que a Incontinência Urinária de Esforço (IUE) afeta atletas jovens e nulíparas. Adicionalmente, estudos demonstram que a Qualidade de Vida (QV) das atletas que possuem IU é muitas vezes afetada, podendo levar ao abandono da prática desportiva. Visto que, atualmente, não existem estudos randomizados específicos para IUE nesta população, é importante verificar a eficácia de um protocolo randomizado de treino dos músculos do pavimento pélvico (TMPP) em atletas. Objetivo: avaliar os efeitos de um protocolo clinico randomizado (PCR) dos MPP em jovens atletas nulíparas com IUE. Metodologia: Este estudo contempla um desenho experimental, longitudinal com avaliações pré-teste e pós-teste. O estudo divide-se em duas etapas: a primeira verifica a prevalência de IU, a QV e a capacidade de contração dos MPP através da aplicação dos questionários King’s Health Questionnaire (KHQ) e a escala de autoeficácia de Broome (EAEB), respetivamente; a segunda parte consiste na avaliação objetiva de perda de urina através do pad-test e na avaliação da capacidade de contração dos MPP pelo exame de Oxford e pela Perineometria. Após a avaliação, as atletas foram divididas aleatoriamente em dois grupos: um de Intervenção (GI n= 4) e um grupo de controlo (GC n= 4). O GI realizou 8 semanas de TMPP seguindo metodologia previamente utilizada (Da Roza, de Araujo, et al., 2012). Os dados foram analisados através do programa de análise estatística SPSS® v.18.0 (Statistical Package for the Social Sciences) e utilizou-se um nível de significância de P˂0,05. Resultados: verificou-se uma prevalência de IU de 74% entre as atletas nulíparas. Obteve-se uma correlação positiva entre o KHQ (score total) e a IU (p=0,00 e r=0,74) e uma correlação negativa entre a EAEB (total) e o KHQ (p=0,03 e r=-0,40). Houve uma diferença estatisticamente significativa entre o grupo continente e incontinente na quantidade de horas de treino por dia (p=0,000) e treinos por semana (p=0,009). Comparando o pré-teste e pós-teste entre os dois grupos, verifica-se que houve uma diferença significativa no Pad-test (p<0,001) e na Perineometria (p=0,03). Conclusão: encontrou-se que a prevalência de IU na região do norte de Portugal entre diferentes modalidades é de 74%. O protocolo de TMPP mostrou-se eficaz nesta população, podendo desta forma ser utilizado para a prevenção e reabilitação do MPP. Recent literature has shown that the Stress Urinary Incontinence (SUI) affects young nulliparous athletes. Additionally, studies demonstrate that the Quality of Life (QL) of the athletes with SUI is often affected, which may lead to the abandon of practicing sports. Nowadays, there are not randomized studies about SUI in this population, therefore it is important to verify the effectiveness of training pelvic floor muscles (TPFM) under a randomized protocol in female athletes. Objective: Evaluate the effects of a randomized clinic trial (RCT) in the PFM in young nulliparous athletes with SUI. Methodology: This study contemplates an experimental design, longitudinal with pre-test and post-test evaluations. The study is divided in two steps: the first verifies the prevalence of SUI, the QL and the ability to contraction of the PFM through the application of the King’s Health Questionnaire (KHQ) and the Broome Pelvic Muscle Self-efficacy Scale (PMSES), respectively; the second consists in the objective evaluation of loss of urine through Pad-test and verify the capacity to contract the PFM through the Oxford and Manometer exam. After the evaluation, the athletes were divided randomly in two groups: one of Intervention (IG n=4) and another of Control (CG n=4). The IG realized 8 weeks of PFMT following the previously used methodology (Da Roza, T.2012). The data was analyzed using the statistical analysis software SPSS® v.18.0 (Statistical Package for the Social Sciences) and it was used a significance level of P˂0.05. Results: there was a 74% prevalence of SUI in the nulliparous athletes. A positive correlation between KHQ (total score) and the SUI (p=0.00 and r=0.74) and a negative correlation between PMSES (total) and KHQ (p=0.009) was obtained. There was a statistically relevant difference in the amount of training hours per day (p=0.000) and per week (p=0.009) between the continent and incontinent groups. A difference was verified in the Pad-test (p<0.001) and in the Manometer (p=0.03), in the comparison between pre and post-test groups. Conclusion: Was verified, a 74 % the prevalence of SUI between different modalities in the north region of the Portugal. The PFMT protocol has shown effectiveness in this population, therefore it can be used for the prevention and rehabilitation of PFM.
Descrição: Trabalho de Projeto apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Fisioterapia, ramo de Fisioterapia Materno-Infantil
URI: http://hdl.handle.net/10284/4786
Aparece nas colecções:ESS (DCETS) - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TP_18031.pdf1,58 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.