Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/4782
Título: Fatores associados a quedas em idosos institucionalizados de meio urbano e rural
Autor: Machado, Thierry Alves
Orientador: Festas, Clarinda
Cervaens, Mariana
Palavras-chave: Quedas
Fatores de risco
Idosos institucionalizados
Meio urbano
Meio rural
Falls
Risk factors
Institutionalized elderly
Urban Environment
Rural environment
Data de Defesa: 2013
Editora: [s.n.]
Resumo: Este estudo teve como principal objetivo analisar a ocorrência de quedas nos últimos 12 meses e os fatores de risco associados às mesmas, em idosos institucionalizados de meio urbano e rural. Foram avaliados 200 idosos, 100 idosos institucionalizados de meio urbano e 100 idosos institucionalizados de meio rural. Foi realizado um levantamento das variáveis sociodemográficas da amostra e as variáveis em análise foram: a ocorrência de quedas nos últimos 12 meses, a percepção que os idosos têm perante a sua visão e audição, a utilização de auxiliares de marcha, a realização de exercício terapêutico e a quantidade de medicação usada pelos idosos avaliadas através de um questionário multidimensional, o equilíbrio estático avaliado através do One Leg Standing Test (OLS), o equilíbrio dinâmico e a mobilidade através do Time Up and Go Test (TUGT), a velocidade da marcha através do 30-metre Walk Test (30mWT), a força dos membros inferiores através do 30-Seconds Chair Stand Test (30sCST), o medo de cair através da versão portuguesa da Falls Efficacy Scale (FES), o nível de atividade física através do Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ) e o índice de massa corporal (IMC) que foi calculado através da avaliação do peso e da altura. Foram utilizados os testes estatísticos de Qui-Quadrado, o test t, o teste de Mann-Whitney, o coeficiente de correlação rho de Spearman e a regressão logística. O nível de significância estatística considerado foi de 0,05. Verificou-se que existiam diferenças estatisticamente significativas entre os idosos institucionalizados de meio urbano e rural, no exercício terapêutico (p=0,00), no uso de auxiliar de marcha (p=0,04), no TUGT (p=0,00), na velocidade máxima da marcha (p=0,00) e na FES (p=0,04), tendo sido obtidos piores resultados pelos idosos de meio rural em todas as variáveis. Foi também possível constatar que existiam diferenças estatisticamente significativas entre os idosos de meio urbano que caíram e não caíram nos últimos 12 meses, na medicação (p=0,02), enquanto que nos idosos de meio rural essas diferenças verificaram-se na percepção da visão (p=0,04), na medicação (p=0,01), no uso de auxiliar de marcha (p=0,03), no OLS (p=0,01) e na FES (p=0,00). Na correlação da ocorrência de quedas com as restantes variáveis observou-se que, nos idosos de meio urbano, existia uma correlação positiva com a medicação (p=0,03). Nos idosos de meio rural, verificou-se uma correlação negativa entre a ocorrência de quedas e a FES (p=0,01) e uma correlação positiva com a medicação (p=0,01) e o uso de auxiliar de marcha (p=0,04). Na regressão logística entre a ocorrência de quedas, nos últimos 12 meses, e as restantes variáveis avaliadas, foi possível constatar, que nos idosos de meio urbano, a medicação (p=0,03) constituía um fator de risco de queda, enquanto que os idosos de meio rural, apresentavam resultados estatisticamente significativos no OLS (p=0,02), na FES (p=0,01), na visão (p=0,04), na medicação (p=0,01) e no uso de auxiliar de marcha (p=0,03). Os idosos institucionalizados de meio rural apresentam piores resultados nas variáveis avaliadas e consequentemente um maior número de fatores de risco de queda, comparativamente aos idosos institucionalizados de meio urbano. This study aimed to analyze the occurrence of falls in the past 12 months and the risk factors associated with them in institutionalized elderly in urban and rural environments. For this study 200 elderly were evaluated, 100 institutionalized urban elderly and 100 institutionalized rural elderly. A survey of sociodemographic variables was made and the variables analyzed were: the occurrence of falls in the past 12 months, the perception that older people have towards their vision and hearing, the use of auxiliary gait gear, performing therapeutic exercise and the amount of medication used by the elderly evaluated by a multidimensional questionnaire, the static balance evaluated through One Leg Standing Test (OLS), the dynamic balance and mobility through the Time Up and Go Test (TUGT), gait speed through the 30-meter Walk Test (30mWT), the lower limb strength through the 30-Seconds Chair Stand Test (30sCST), fear of falling through the Portuguese version of the Falls Efficacy Scale (FES), the level of physical activity through the International Physical Activity Questionnaire (IPAQ) and index body mass that was calculated by assessing the weight and height. The statistical tests used were, the chi-square test, the t test, the Mann-Whitney test, the rho coefficient of Spearman and a logistic regression. The level of statistical significance was 0.05. It was found that there were statistically significant differences among the institutionalized elderly in urban and rural areas in therapeutic exercise (p=0,00), the use of auxiliary gait (p=0,04), in TUGT (p=0,00), the maximum speed of gait (p=0,00) and FES (p=0,04), worse outcomes have been achieved by the elderly in rural areas on all variables. It was also possible to see that there were statistically significant differences among the elderly in urban areas that have fallen and not fallen in the last 12 months, in medication (p=0,02), whereas in the rural elderly these differences were observed in the perception of vision (p=0,04), in medication (p=0,01), use of auxiliary gait (p = 0.03), in OLS (p=0.01) and FES (p =0,00). On the correlation of the occurrence of falls with the other variables was observed that, in the urban elderly, there was a positive correlation with medication (p=0,03). In the rural elderly, there was a negative correlation between the occurrence of falls and FES (p=0,01) and a positive correlation with medication (p=0,01) and the use of auxiliary gait (p =0,04). Logistic regression between the occurrence of falls in the past 12 months and the remaining variables, determined that in the urban elderly, medication (p=0,03) was a risk factor for falling, while the rural elderly, showed statistically significant results in OLS (p=0.02), FES (p=0.01), vision (p=0.04), in medication (p=0.01) and use of auxiliary gait (p=0.03). The institutionalized elderly at rural areas have worse results in the variables studied and therefore a greater number of risk factors of falling compared to urban institutionalized elderly.
Descrição: Trabalho de Projeto apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Fisioterapia, ramo de Fisioterapia da Senescência
URI: http://hdl.handle.net/10284/4782
Aparece nas colecções:ESS (DCETS) - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TP_18094.pdf1,93 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.