Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/4780
Título: Efeitos de um protocolo de treino dos músculos do pavimento pélvico em atletas nulíparas com incontinência urinária
Outros títulos: estudo comparativo entre um protocolo supervisionado e não supervisionado
Autor: Sousa, Maria Beatriz Melo e
Orientador: Viana, Rui
Viana, Sara
Palavras-chave: Incontinência urinária
Atletas nulíparas
Fisioterapia
Treino dos músculos do pavimento pélvico
Urinary incontinence
Nulliparous athletes
Physiotherapy
Training of pelvic floor muscles
Data de Defesa: 2013
Editora: [s.n.]
Resumo: Introdução: Estudos recentes evidenciam uma elevada prevalência de Incontinência Urinária (IU) em jovens atletas e nulíparas, especialmente na ginástica, atletismo e jogos de bola, condicionando o seu desempenho e interferindo com a qualidade de vida (QV). Assim, com a Fisioterapia pretende-se reabilitar estas atletas através do treino dos músculos do pavimento pélvico (TMPP) - tratamento classificado com o mais alto nível de evidência. Objetivo: Investigar a eficácia de um protocolo de TMPP no tratamento da IU em jovens atletas nulíparas. Metodologia: Estudo experimental, longitudinal com avaliações pré e pós-teste. Participaram nove jovens atletas nulíparas, divididas em dois grupos de intervenção que realizaram o protocolo de TMPP, um com supervisão da fisioterapeuta (n=4) e outro sem supervisão (n=5). Na primeira etapa do estudo as participantes responderam ao CONTILIFE, Escala de Auto-eficácia dos Exercícios de Broome (EAEB) e ao questionário sociodemográfico; na segunda etapa realizaram o International Physical Activity Questionnaire - Short Form (IPAQ-SF), o Pad-Test e os testes de Oxford e Perineometria; e na terceira foi aplicado o protocolo de TMPP. No tratamento de dados foi utilizado o Test-T e o Manny-Whitney test na análise indutiva e a Correlação de Spearman na análise correlacional, com o nível de significância p≤0,05. Resultados: Verificou-se uma prevalência de IU de 74%, assim como uma correlação negativa entre o CONTILIFE (score total) e a IU (p=0,018 e r=-0,336) e uma correlação positiva entre o CONTILIFE (score total) e o score total da EAEB (p=0,0132 e r=0,307). Encontraram-se diferenças estatisticamente significativas entre as atletas dos grupos de intervenção e o peso (p=0,029). A comparação entre o pré e pós-teste só foi significativa no parâmetro Pad-test (p=0,05). Todas atletas do grupo com supervisão registaram melhorias nos parâmetros analisados. Conclusão: O protocolo de TMPP parece ser eficaz no tratamento da IU em atletas nulíparas e foram encontradas diferenças entre o protocolo supervisionado e não supervisionado, nomeadamente no grupo com supervisão. Background: Recent studies show a high prevalence of Urinary Incontinence (UI) in young athletes and nulliparous, especially in gymnastics, athletics and ball games, interfering with their performance and consequently with quality of life (QoL). Thus, the Physiotherapy aim is to rehabilitate these athletes with the pelvic floor muscle training (PFMT) – classified with the higher level of evidence. Objective: Investigate the effectiveness of the PFMT protocol in the treatment of UI in young nulliparous athletes. Methods: Experimental and longitudinal study with pre and post-test evaluations. Participation of nine young nulliparous athletes, divided in two intervention groups, one with supervision of a physiotherapist (n=4) and another without (n=5) who did the PFMT protocol. In the first stage the participants answered to CONTILIFE, to Self-Efficacy Scale of Broome Exercises Broome and to a sociodemographic questionnaire; on second stage they did the International Physical Activity Questionnaire - Short Form (IPAQ-SF), Pad-Test and Oxford Test and perineometry; and in the third stage the PFMT protocol was applied. To data analysis it was used the T-test and Manny-Whitney test in inductive analysis and the Spearman’s Correlation in correlacional analysis and the level of significance was p≤0,05. Results: The prevalence of UI was 74%, this study shows a negative correlation between CONTILIFE (total score) and UI (p=0,018 e r=-0,336) and a positive correlation between CONTILIFE (total score) and Self-Efficacy Scale of Broome Exercises Broome (p=0,0132 e r=0,307). Statistical differences had benn found between athletes and weigth (p=0,029). The comparison between pre and posttest was significant in Pad-test (p=0,05). All athletes of intervention group with supervision had registered improvements. Conclusions: The PFMT protocol seems to be effective in the treatment of UI in young athletes and nulliparous and differences were found between the assisted and unassisted protocol, especially in the group with supervision.
Descrição: Trabalho de Projeto apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Fisioterapia, ramo de Fisioterapia Materno-Infantil
URI: http://hdl.handle.net/10284/4780
Aparece nas colecções:ESS (DCETS) - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TP_18082.pdf3,16 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.