Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/4752
Título: Conhecimentos ergonómicos dos alunos do 4º e 5º ano de Medicina Dentária
Autor: Santos, Maria Couto
Orientador: Teles, Ana Moura
Data de Defesa: 2015
Editora: [s.n.]
Resumo: Introdução: Atualmente, é cada vez mais visível o papel que a Ergonomia tem na prevenção do bem-estar físico e psíquico do Médico Dentista. A permanência numa mesma posição corporal, associada ao trabalho sedentário e à utilização excessiva dos membros superiores, podem gerar alterações significativas no alinhamento corporal, que se manifestam por desconforto e/ou dor na musculatura mais utilizada. Para Szymanska (2002) e Maehler (2003) as lesões podem aparecer no início da prática clínica dos estudantes, pois estes adquirirem muitos hábitos e posturas de trabalho incorretos, pouco saudáveis que favorecem a fixação de vícios posturais que os acompanham para o resto da sua vida profissional. Objetivo: Neste trabalho pretendeu-se avaliar se os alunos do 4º e 5º anos do Curso de Mestrado Integrado em Medicina Dentária aplicavam os conhecimentos que tinham sobre Ergonomia na sua prática clínica da Medicina Dentária. Materiais e Métodos: Para isso utilizou-se um questionário, focando-se os seguintes aspetos: gerais; relacionados com a prática clínica; relacionados com a formação recebida sobre Ergonomia; e relacionados com a sua experiência pessoal. No tratamento de dados utilizou-se quer o Excel quer o programa de análise Statistical Package for the Social Sciences – SPSS® for Windows, versão 21.0. A amostra final foi de oitenta e nove alunos. Na metodologia adotada optou-se pela realização de um estudo observacional, de delineamento transversal, pela aplicação de um questionário de autopreenchimento aos alunos da Clínica Pedagógica de Medicina Dentária da UFP, inscritos nos 4º e 5º anos do Mestrado Integrado em Medicina Dentária, num total de 89. Resultados: A comparação dos resultados obtidos neste estudo, com outros similares anteriormente realizados, pretendeu medir a evolução dos comportamentos dos estudantes em relação a vários aspetos Ergonómicos da sua prática clínica. Os resultados obtidos mostram que, ainda na Faculdade e embora a prática destes alunos seja reduzida, os alunos já evidenciam sintomatologia dolorosa, apesar de serem conhecedores dos princípios ergonómicos que devem respeitar. Conclusões: Há uma tendência para o aumento do número de estudantes do sexo feminino na frequência do Curso de Mestrado Integrado de Medicina Dentária. Com Bolonha verifica-se uma diminuição do número de horas de trabalho na clínica. O Médico Dentista prefere trabalhar sentado, utilizar a mão direita como mão dominante no trabalho, o método de visão direta e realizar pausas entre consultas. Indica a cirurgia e a endodontia como as áreas onde empreende maior esforço e aponta a cervical, a lombar, o pescoço e os ombros, como zonas de maior intensidade da dor. O Médico Dentista assinala a postura, os movimentos repetitivos e a força, como fatores passíveis de provocar dor e, em geral, afirma prejudicar a sua saúde a favor do bem-estar do paciente. O Médico Dentista aponta o stress como sendo o fator psicossocial que mais concorre para o aparecimento de dor. E os dados deste estudo provam que existe uma relação de dependência estatisticamente significativa entre: o sexo e o hábito de fazer pausas de pelo menos 5 min entre consultas; o sexo e a realização de exercícios de alongamento entre consultas; e a realização de exercícios de alongamento entre consultas e o sentir que há fatores psicossociais como o stress que contribuem para o aparecimento de dor. Em relação à disciplina de Ergonomia uma grande percentagem dos inquiridos tiveram Ergonomia no 1º ano, mas reconheceram que teria sido mais profícuo se ela tivesse sido ministrada no 3º ano. Introduction: Nowadays, it is increasingly apparent the role of the Ergonomy in the prevention of physical and mental well-being of the dentist. Staying in the same body position, associated with sedentary work and excessive use of the upper limbs can generate significant changes in body alignment manifested by discomfort and/or pain in the muscles used. To Szymanska (2002) and Maehler (2003) lesions may appear at the beginning of the clinical practice of students because they pick up many habits and incorrect working postures, unhealthy favoring the establishment of postural defects that accompany them for the rest of their professional life. Objective: In this study we sought to evaluate whether the students of 4th and 5th years of the Masters Course in Dentistry applied the knowledge they had about Ergonomy in their clinical practice of dentistry. Materials and Methods: For this, we used a questionnaire focusing on the following aspects: general; related to clinical practice; related to the training received on Ergonomy; and related to their personal experience. In the treatment of data it was used either Excel or the Statistical Package Analysis for the Social Sciences - SPSS for Windows, version 21.0. The final sample consisted of eighty-nine students. In the methodology adopted was decided to carry out an observational, cross-sectional study, by applying a self-report questionnaire to students of Educational Clinic of Dental Medicine, UFP, registered in the 4th and 5th years of the MSc in Dental Medicine, in a total of 89. Results: The comparison of the results obtained in this study with similar previously conducted, intended to measure the change in attitude of the students toward various Ergonomic aspects of their practice. The results show that even though the practice of these students is reduced, students have indicated the painful symptoms, although they are knowledgeable of the ergonomic principles that must be respected. Conclusions: There is a tendency to increase the number of female students in the frequency of the Masters Course in Dentistry. With Bologna there is a decrease in the number of working hours in the clinic. The Dentist prefers to work seated, to use the right hand as the dominant hand at work, the direct visualization method and to make breaks between appointments. Indicates surgery and endodontics as areas where more effort is needed and points cervical, lumbar, neck and shoulders, as areas of greatest intensity of pain. The dentist marks the posture, repetitive movements and strength, as factors that might cause pain and, in general, says that the damages his health for the well-being of the patient. The dentist points stress as the psychosocial factor that most contributes to the onset of pain. And our data show that there is a statistically significant dependence between: sex and the habit of taking breaks of at least 5 minutes between appointments; sex and performing stretching exercises between appointments; and performing stretching exercises between appointments and the feeling that there are psychosocial factors such as stress that contribute to the onset of pain. Regarding Ergonomics discipline a large percentage of respondents had Ergonomics in the 1st year, but acknowledged it would have been more fruitful if it had been given in the 3rd year.
Descrição: Projeto de Pós-Graduação/Dissertação apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Medicina Dentária
URI: http://hdl.handle.net/10284/4752
Aparece nas colecções:FCS (DCM) - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
PPG_MariaCoutoSantos.pdf1,68 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.