Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/4710
Título: Atitudes dos professores do 1º Ciclo face à inclusão de alunos com Necessidades Educativas Especiais no Ensino Regular
Autor: Pinto, Paula Margarida de Almeida
Orientador: Marinho, Susana
Nunes, António
Palavras-chave: Necessidades Educativas Especiais
Escola Inclusiva
Atitudes
Special Educational Needs
Inclusive School
Attitudes
Data de Defesa: 2015
Editora: [s.n.]
Resumo: O presente estudo centra-se na problemática da inclusão de alunos com necessidades educativas especiais no ensino regular e tem como objetivo conhecer as atitudes dos professores do primeiro ciclo face à inclusão destes alunos no ensino regular. Neste trabalho, procedemos a uma revisão da literatura para clarificar determinados conceitos, tais como Necessidades Educativas Especiais, Escola Inclusiva e Atitudes dos professores face à inclusão de alunos com necessidades educativas especiais, procurando perceber as principais dificuldades sentidas e o modo como é encarada a inclusão destes alunos pelos professores, tendo em conta a sua ação. A nossa investigação baseou-se numa amostra de cinquenta docentes, do primeiro ciclo do ensino básico da região do distrito de Viseu, dos quais uma reduzida percentagem possui Formação Específica em Educação Especial, e procurou responder à seguinte questão: Quais as atitudes dos professores do primeiro ciclo face à inclusão de alunos com necessidades educativas especiais no ensino regular? A aplicação do Questionário “Atitudes dos Professores do 1ºCiclo Face à Inclusão de Alunos com NEE no Ensino Regular”, elaborado para o estudo, revelou boas qualidades psicométricas, nomeadamente ao nível da consistência interna, e uma estrutura fatorial de três componentes principais (que explicam 52.4% da variância total). Assim, na primeira componente aceita-se que a inclusão de alunos com NEE pode ser vantajosa, como um estímulo à interação, compreensão e aceitação das diferenças, devendo ser concedidas oportunidades para esta inclusão. A segunda toma a designação que o aluno com NEE que, numa turma regular, não se esforça por completar as tarefas monopolizando o tempo do professor, poderá desenvolver melhor as capacidades numa turma especial. A terceira refere que os professores das turmas regulares têm preparação para ensinar alunos com NEE. Na análise das hipóteses formuladas, os resultados encontrados sugerem que o sexo, o escalão etário, as habilitações académicas, a categoria profissional, a experiência profissional e a formação específica em educação especial não parecem influenciar as atitudes dos professores face à inclusão de alunos com necessidades educativas especiais no ensino regular.
The present study focuses on the domain of inclusion of pupils with special educational needs in regular education and aims to identify the attitudes of elementary school teachers towards the inclusion of these students in regular education. We carried out a literature review to clarify certain concepts, such as special educational needs, inclusive school and teachers' attitudes towards the inclusion of pupils with special educational needs, seeking to understand the main difficulties teacherʼs face and how the inclusion of these students is seen by teachers, based on how they act upon it. Our research was based on a sample of fifty teachers of the 1st cycle of basic education in the district of Viseu, of which a small percentage has specialization in Special Education, and sought to answer the following question: What are the attitudes of elementary school teachers towards the inclusion of pupils with special educational needs in regular education? The application of the questionnaire "Attitudes of Elementary Teachers toward the Inclusion of Pupils with SEN in Regular Education", elaborated for the study, showed good psychometric qualities, particularly in internal consistency, and a fatorial structure of three main components (which explain 52.4% of the total variance). Thus, in the first component it is accepted that the inclusion of pupils with SEN can be advantageous, as a stimulus to interaction, understanding and acceptance of differences, should opportunities be granted for this inclusion. The second takes the designation that the student with SEN that, in a regular class, does not strive to complete the tasks monopolizing the professor´s time, can better develop capacities in a special class. The third refer that regular class teachers have preparation for teaching pupils with SEN. The results of hypotheses analysis suggest that gender, age group, academic qualifications, professional category, professional experience and specific training in special education do not seem to influence the attitudes of teachers towards the inclusion of pupils with special educational needs in regular education.
Descrição: Dissertação apresentada à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Ciências da Educação: Educação Especial, área de especialização em Domínio Cognitivo e Motor
URI: http://hdl.handle.net/10284/4710
Aparece nas colecções:FCHS (DCPC) - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO -PAULA PINTO.pdf3,07 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.