Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/4431
Título: A reorganização da farmácia comunitária face à nova realidade económica
Autor: Costa, José Miguel Freitas da Rocha e
Orientador: Santos, Delfim
Palavras-chave: Farmácia comunitária
Crise económica
Reorganização
Política do medicamento
Ato farmacêutico
Modelos de gestão
Marketing farmacêutico
Community pharmacy
Financial crisis
Reorganization
Drug pricing policy
Pharmaceutical act
Management models
Pharmaceutical marketing
Data de Defesa: 2014
Editora: [s.n.]
Resumo: O agravamento da situação económica que Portugal tem sofrido nos últimos anos tem levado os sucessivos governos a implementar medidas de contenção da despesa nos diferentes setores que compõem o Estado. O setor da saúde não é exceção, tendo-se verificado sucessivos cortes nos últimos anos. Ao nível da farmácia comunitária, a realidade tem-se alterado profundamente. As sucessivas alterações legislativas que têm sido aprovadas desde o ano de 2005, não só vieram aumentar a concorrência no setor, com medidas como a liberalização da propriedade, a possibilidade de fazer descontos nos medicamentos e a venda de MNSRM fora das farmácias, como também vieram diminuir a rentabilidade das farmácias com as reduções sucessivas dos preços dos medicamentos e das suas margens de comercialização, a aplicação de margens regressivas em vez de margens fixas e o aumento de stock por imposição legal, entre outras medidas. Tais alterações fizeram com que o setor das farmácias atravesse agora uma grave crise económica e financeira, havendo mesmo farmácias a fechar. Como consequência, tem havido também uma redução da assistência às populações. Para responder a estas dificuldades, as farmácias e os farmacêuticos devem unir-se em torno de objetivos comuns, defendendo uma nova forma de pensar a farmácia, em que o atendimento ao doente ganha uma maior importância face à venda do medicamento. The worsening of the economic situation that Portugal has suffered in the last years has lead the successive governments to implement measures to curb spending in the different sectors that compose the state. The health sector is no exception, and in recent years there have been successive cuts. In what community pharmacy is concerned, reality has profoundly changed. The successive legislative amendments that have been approved since 2005, not only have increased competition in the sector, with measures such as property liberalization, the possibility of making discounts on drug sales and the sale of non-prescription drugs outside pharmacy, as they also decreased the profitability of pharmacies with successive reductions in drug prices and their sales margins, the application of regressive margins instead of fixed margins and the stock increase by legal imposition, between other measures. Such changes caused a severe economic and financial crisis in the community pharmacy sector, with pharmacies having to shut. As a consequence, there has also been a reduction in assistance to populations. To address these difficulties, the pharmacies and pharmacists should unite around common goals, advocating a new way of thinking the pharmacy, where the patient’s care gains greater importance when compared to the drug’s sale.
Descrição: Projeto de Pós-Graduação/Dissertação apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Ciências Farmacêuticas
URI: http://hdl.handle.net/10284/4431
Aparece nas colecções:FCS (DCF) - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
PPG_18235.pdf1,25 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.