Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/4383
Título: Estudo de Prevalência das Agenesias Dentárias, numa População Ortodôntica
Autor: Silva, Ana Catarina Faria Lima da
Orientador: Silva, Carlos
Data de Defesa: 2014
Editora: [s.n.]
Resumo: Introdução: A agenesia dentária, também definida como ausência congénita, é caracterizada pela diminuição numérica dos elementos dentários. É uma das anomalias dentárias mais frequentes no ser humano e resulta de distúrbios durante as fases de iniciação e proliferação no decorrer da organogénese . É fundamental o conhecimento da sua prevalência e consequências para umm bom enquadramento clínico. O diagnóstico precoce é de vital importância na prevenção dos distúrbios maxilo-mandibulares, permitindo estabelecer uma conduta clínica e ortodôntica na época mais adequada. Objetivo: Determinar a prevalência das agenesias dentárias numa população ortodôntica, através da análise de radiografias panorâmicas. Métodos: Foram selecionadas 500 pacientes ortodônticos que frequentaram o Centro de Ortodontida Prof. Doutor Carlos Silva no período compreendido entre Janeiro e Março de 2014. Segundo os critérios de inclusão e exclusão, a amostra do estudo foi constituida por 197 pacientes , com idades compreendidas entre os 7 e os 14 anos de idade. O diagnóstico de agenesia dentária foi feito a partir da análise detalhada das radiografias panorâmicas procedendo-se à recolha de dados relativos a género, idade, existência de agenesia e sua localização, fases de erupção dos terceiros molares, em ficha preparada para o efeito. Resultados: Na amostra de 197 pacientes (64% do sexo feminino e 36% do sexo masculino), obteve-se uma prevalência de agenesias dentárias de 19,8%, incluindo os terceiros molares e 10,2%, excluindo estes dentes. Excluindo os terceiros molares, 45% apresentam agenesia de dois dentes; os dente mais frequentemente ausentes foram os pré-molares mandibulares (dente 35 com 8,99% e dente 45 com 11,24%); a prevalência por sexos foi 65% para o sexo feminino e 35% para o sexo masculino; segundo as arcadas dentárias verificou-se 9,6% de agenesias no maxilar superior e 11,2% no inferior. A bilateralidade das agenesias foi predominante em 69,2% dos casos de agenesia. Não foram observadas anomalias de forma em dentes homólogos aos afectados pela agenesia, quando unilateral. A idade média em que foi possível vizualizar os gérmens dos terceiros molares foi aos 10 anos. Conclusão: Numa população de 197 pacientes ortodônticos, 10,2% apresentaram agenesias dentárias (excluindo o 3º molar). O dente mais frequentemente ausente, excluindo os terceiros molares, foi o segundo pré-molar mandibular. Os resultados obtidos enquadram-se nos anteriormente descritos em diferentes populações. Em relação ao sexo e arco dentário, as diferenças obtidas nos resultados não se revelaram estatisticamente significativas. A ocorrência de bilateralidade foi de 69%, um resultado estatisticamente significativo. Introduction: Dental agenesis also defined as congenital absence, is characterized by the reduction number of teeth. It is one of the most common development anomalies of the human dentition, and it happens as a result of a disturbance during the stages of initiation and proliferation in the organogenesis. Knowledge of its prevalence is of great importance for an accurate clinical assessment. An early diagnostic is of vital importance in order to prevent jaw disturbances, allowing a clinical and orthodontic intervention at the appropriate moment. Aim: To determine the prevalence of dental agenesis in an orthodontic population, using panoramic radiographs. Methods: 500 patients that attended “Centro de Ortodontia e Reabilitação Oral Prof. Doutor Carlos Silva” from January until March of 2014 were selected according to the inclusion and exclusion criteria, the study sample was comprised of 197 patients with ages between 7 and 14 years old. Dental agenesis was diagnosed from detailed analysis of panoramic radiographs, and information regarding gender, age, existing dental agenesis and its localization, eruption stages of third molars was collected and organized. Results: In the sample of 197 patients (64% female, 36% male), we obtained a tooth agenesis prevalence of 19,8% including third molars, and 10,2% excluding these teeth. Excluding third molars, 45% of cases had agenesis of two teeth; the most frequently missing tooth was the mandibular second premolar (3.5 with 8,99% and 4.5 with 11,24%); prevalence by gender was 65% for female and 35% for males; in regards to the upper jaw the dental agenesis prevalence was 9,6% and in the lower jaw was 11,2%. The bilateral agenesis was predominant with 69,2% of cases. There were no alterations of form in the unilateral dental agenesis. The average age we could visualize the third molar germen was 10 years old. Conclusion: In a sample of 197 patients, 10,2% presented hypodontia (excluding third molars). The most frequently missing tooth was the mandibular second premolar. The obtained results are in accordance with previously published studies with different populations. In regards to sex and dental arch, the results show there is no statistical differences. The occurrence of bilateral agenesis was 69%, a statistical significant result.
Descrição: Projeto de Pós-Graduação/Dissertação apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Medicina Dentária
URI: http://hdl.handle.net/10284/4383
Aparece nas colecções:FCS (DCM) - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
PPG_21811.pdf713,46 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.