Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/4301
Título: Os estudantes de Enfermagem perante a morte dos seus doentes
Autor: Gomes, Odília da Quinta
Orientador: Pontes, Manuela
Palavras-chave: Morte
Estudantes de Enfermagem
Atitudes face à morte
Contributos da formação académica
Data de Defesa: 2014
Editora: [s.n.]
Resumo: O avanço científico trouxe novas características à morte a ao processo de morrer, sendo que daí resultou um envolvimento cada vez maior dos profissionais de saúde com a fase final da vida dos seus pacientes. Mas os profissionais de saúde estão, sobretudo, vocacionados para a recuperação e para a cura dos doentes, para prolongar da vida. Esta orientação da prestação de cuidados para um modelo biomédico curativo faz com que a morte seja considerada como uma derrota das técnicas modernas de tratamento. O contributo de um trabalho deste género na formação académica e profissional de um enfermeiro será, sem dúvida, importante uma vez que a morte faz parte do ciclo da vida e de deste modo implica um peso muito grande na formação global do curso de base de enfermagem que merece uma atenção em particular. Daí que a reflexão sobre esta problemática pareça oportuna e pertinente, considerando que os alunos de enfermagem, no seu processo de cuidar, ao longo dos Ensinos Clínicos, confrontam-se com experiências inevitáveis relacionadas com o fim de vida de quem cuidam. O presente trabalho, versa o tema: “Os estudantes de enfermagem perante a morte dos seus doentes”, definiu-se o problema de investigação que é: como lidam com a morte dos seus doentes os estudantes de Enfermagem da Universidade Privada do Alto Minho, tendo como objetivos específicos: - conhecer a representação da morte para s estudantes de Enfermagem antes e após se tornarem prestadores de cuidados de saúde; - conhecer os fatores que influenciam as experiências/vivências dos estudantes de Enfermagem face à morte durante o seu percurso académico; - conhecer os comportamentos adotados pelos estudantes de Enfermagem face à morte durante o seu percurso académico e – conhecer os contributos da formação dos estudantes de Enfermagem em relação à morte. Neste âmbito, optou-se por um estudo de caráter qualitativo fenomenológico em que, através de entrevistas semiestruturadas foi possível realizar a colheita de dados a uma amostra de dez alunos do 4º ano do Curso de Licenciatura em Enfermagem da Universidade Fernando Pessoa – Unidade Ponte de Lima. Os resultados obtidos através deste estudo permitem chegar à conclusão que para os entrevistados, antes de serem estudantes de Enfermagem, a morte era uma realidade pouco vivenciada e a vivência que tinham da mesma prendia-se sobretudo com a morte de familiares. Depois de serem estudantes de Enfermagem, os mesmos entrevistados consideraram a morte uma realidade mais frequente. Manifestaram possuir maior controlo emocional para lidar com a morte embora também haja referência ao medo de lidar com a mesma, sendo que todos descreveram a morte como a fase final da vida. Em relação aos fatores que influenciam as experiências/vivências dos estudantes de Enfermagem face à morte foram apontados os seguintes: - a idade jovem, - o conhecimento do doente sobre a morte e o processo de morrer, - a morte durante a prestação de cuidados de Enfermagem, - o insucesso técnico, - a primeira experiência de morte, - a morte súbita, - a comunicação de más notícias, a – projeção da morte em si próprio e na sua família, - a dificuldade em lidar com o momento da morte e sentimentos negativos face à morte. Quanto aos comportamentos adotados pelos estudantes de Enfermagem face à morte, os entrevistados referem: a racionalização, - o cuidados de conforto à pessoa moribunda, - os cuidados pós-morte e – o apoio a família durante todas as etapas durante o processo de morrer. Os contributos da formação que emergem do resultado da análise das entrevistas dividem-se em três áreas, abordagem teórica, o ensino clínico e a construção pessoal. Abstract Scientific progress has brought new features to the death and dying process, and this resulted in an increased involvement of health professionals with the final phase of life of their patients. But health professionals are mainly aimed at the recovery and healing of the sick, to extend life. This approach of providing care for a biomedical healing model makes death to be considered as a defeat of modern treatment techniques. The contribution of a paper of this kind in the academic and professional training of a nurse is undoubtedly important since death is part of the life cycle and thus implies a very large weigh in the overall training of the basic course in nursing that deserves close attention. Hence the discussion on this issue seems timely and relevant, considering that nursing students in their care process, along Clinical Teachings, face inevitable experiences related to the end of the life of who they care. The present paper refers the theme: “The nursing students facing the death of their patients”, with these objectives understanding the meaning of death for nursing students before and after they become providers of health care; knowing the factors that influence the experiences of nursing students facing death during their academic career; knowing the behaviors adopted by nursing students in face of the death of a patient throughout their academic career and knowing contributions of the training of nursing students towards death. In this context, we choose a study of phenomenological qualitative approach in which, through semi-structured interviews was not possible to collect data on a sample of ten students of the 4th year of the Bachelor’s degree in Nursing at the Universidade Fernando Pessoa – Unidade Ponte de Lima. The results obtained by this study allow us to reach the conclusion that for the interviewed before being nursing students, death was a barely experienced reality and the experience that they had was related mainly with death of family members. After being nursing students for these same interviewed this became a more frequent reality They have a expressed having acquired a greater emotional control in dealing with death, although there is also reference to the fear of dealing with it, all of them described death as the final stage of life. Regarding the factors that influence the experiences of nursing students in respect to death, the following were appointed: young age, knowledge of the patient about death and the dying process, death while providing nursing care, technical failure, first experience of death, sudden death, breaking bad news projection of death in himself and his family, difficulty in dealing with the moment of death and negative feelings regarding death. As for the behaviors adopted by nursing students regarding death, the interviewed refer to rationalization, comfort care to the dying person, postmortem care and support to the family in all stages during the process of dying. The contributions of training arising from the analysis results of the interviews are divided into there areas, theoretical approach, clinical teaching and personal construction.
Descrição: Projeto de Graduação apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Licenciada em Enfermagem
URI: http://hdl.handle.net/10284/4301
Aparece nas colecções:UPL (DCETS) - Outros Trabalhos Académicos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
PG_OdiliaGomes.pdf724,83 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.