Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/4298
Título: Vinculação do adulto com Polineuropatia Amiloidotica Familiar
Autor: Sousa, Alexandra Adriana Moreira de
Orientador: Meneses, Rute
Palavras-chave: Polineuropatia Amiloidótica Familiar (PAF)
Paramiloidose
Portadores Assintomáticos
Doentes
Vinculação do Adulto
Familiar Amyloidosis Polyneuropathy (FAP)
Andrade Paramyloidosis
Asymptomatic Carriers
Patients
Adult Attachment
Data de Defesa: 2013
Editora: [s.n.]
Resumo: A Polineuropatia Amiloidótica Familiar (PAF), denominada de forma comum como Doença dos Pezinhos é uma doença incapacitante com implicações físicas e psicológicas. Com este estudo pretende-se analisar e comparar a vinculação do adulto em indivíduos portadores assintomáticos e doentes com PAF; assim como comparar a vinculação do adulto um grupo de doentes com PAF com a de uma amostra da população geral sem diagnóstico conhecido de doenças genéticas e hereditárias ou psicológicas; e identificar correlatos sociodemográficos da vinculação do adulto. Este estudo tem como objetivos: a) caracterizar um grupo de indivíduos com PAF, portadores assintomáticos e doentes, quanto às dimensões da vinculação do adulto; b) caracterizar um grupo de indivíduos com PAF, portadores assintomáticos e doentes, quanto aos estilos de vinculação do adulto; c) verificar se existem diferenças ao nível das dimensões da vinculação do adulto entre portadores assintomáticos e doentes com PAF; d) verificar se existem diferenças significativas entre sexos ao nível das dimensões da vinculação do adulto num grupo de indivíduos com PAF; e) verificar se existem diferenças ao nível das dimensões da vinculação do adulto num grupo de indivíduos com PAF, tendo em conta o progenitor doente (mãe ou pai); f) Verificar se existem diferenças ao nível das dimensões da vinculação do adulto em indivíduos com PAF (doentes e portadores assintomáticos), atendendo à existência de uma relação amorosa significativa; g) verificar se existem diferenças ao nível das dimensões da vinculação do adulto em indivíduos com PAF (doentes e portadores assintomáticos) atendendo à altura em que perdeu o progenitor doente; h) verificar se existem diferenças significativas ao nível das dimensões da vinculação do adulto entre indivíduos doentes com PAF e indivíduos da população geral; e por último, pretende-se verificar se existem diferenças significativas ao nível das dimensões da vinculação do adulto entre indivíduos portadores assintomáticos com PAF e indivíduos da população geral. A amostra é constituída por 124 sujeitos (n=79 doentes com PAF e n=45 indivíduos portadores assintomáticos) com idades compreendidas entre os 20 anos e os 71 anos. A amostra de doentes com PAF (n=31) utilizada para comparar com um grupo da população geral (n=30) tem idades compreendidas entre os 24 anos e 66 anos. A recolha de dados foi efetuada de forma individual na Unidade Clínica de Paramiloidose do Hospital Santo António, do Centro Hospitalar do Porto, sendo oprotocolo de investigação formado por um Questionário sociodemográfico e clínico, um questionário sobre a História Familiar da Doença e a Escala de Vinculação de Adulto (EVA) (Versão Original: Collins & Read, 1990; Versão Portuguesa: Canavarro, 1995). No Grupo PAF, a dimensão com valores mais elevados é Conforto com a Proximidade (M=2,93), verificando-se o mesmo relativamente aos subgrupos Doentes (M=2,98) e Portadores Assintomáticos (M=2,84). Apenas se verificaram diferenças estatisticamente significativas entre os subgrupos na dimensão Confiança nos Outros (t-student=3,43; p=0,001). Atendendo ao subgrupo Doentes (n=31) quando comparado com o grupo da População Geral verificou-se que existem diferenças estatisticamente significativas nas dimensões Conforto com a Proximidade (t-student=3,445; p=0.001) e Confiança nos Outros (t-student=4,187; p<0,001). Quanto ao estilo de vinculação com maior presença no Grupo PAF (n=124) é o Desligado (n=86; 69,4%) e no grupo da população geral (n=30) é o Seguro (n=25; 83,3%).
Familial Amyloidosis Polyneuropathy (FAP) is an incapacitating disease with physical and psychological implications. The present study intends to analyse the adult’s attachment in both asymptomatic FAP carriers and patients. It also intends to compare the FAP patients’ population with a group from the general population that has never been diagnosed with any hereditary and genetic or psychological disease. The objectives of this study are: a) characterize a group of individuals with FAP, asymptomatic carriers and patients, as the dimensions of the adult attachment; b) to characterize a group of individuals with FAP, asymptomatic carriers and patients about styles of adult; c) verify if are differences in the dimensions of the adult attachment between asymptomatic carriers and patients with PAF; d) verify that there are significant differences between genders in terms of dimensions of adult attachment in a group of individuals with FAP; e) verify if are differences in the dimensions of the adult attachment in a group of individuals with FAP, given the ill parent (mother or father); f) verify if are differences in the dimensions of attachment in adult patients with PAF (patients and asymptomatic carriers), given the existence of a significant love relationship; g) check if there are differences in the dimensions of attachment in adult patients with PAF (patients and asymptomatic carriers) because of lost time when the ill parent; h) verify if are significant differences in terms of the dimensions of the linkage between adult patients with FAP individuals and the general population, and finally, we intend to verify that there are significant differences in terms of the dimensions of the adult attachment between adult individuals with asymptomatic PAF and the general population. The study group is composed by a grand total of 124 subjects (n=79 FAP symptomatic carriers and 45 FAP asymptomatic carriers) aged between 20 and 71. The FAP carriers’ study group (n=31) that was compared with the general population (n=30) is aged between 24 and 66. Data collection was individually made at Unidade Clínica de Paramiloidose (FAP Clinical Unit), from Hospital de Santo António, Centro Hospitalar do Porto. The investigation protocol comprised a sociodemographic and clinical questionnaire, a questionnaire about the history of the disease in each family and the Adult Attachment Scale (AAS) (original: Collins & Read, 1990; Portuguese version: Canavarro, 1995). In the FAP group, the parameter with the highest score was Close (M=2,93), with both patients’ (M=2,98) and asymptomatic carriers’ (M=2,84) scoring almost equally. The only statistically significant difference between these subgroups concerns depend (tstudent= 3,43; p=0,001). Comparing the FAP patients’ subgroup (n=31) with the general population subgroup, statistically significant differences were found on the Close (tstudent= 3,445; p=0.001) and Depend parameters (t-student=4,187; p<.001). When attachment categories are at stake, in the FAP group (n=124) Dismissed is the most common (n=96; 69,4%); while in the general population group (n=30) Secure is the most present (n=25; 83,3%).
Descrição: Dissertação apresentada à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para a obtenção do grau de Mestre em Psicologia, ramo de Psicologia Clínica e da Saúde
URI: http://hdl.handle.net/10284/4298
Aparece nas colecções:FCHS (DCPC) - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação Mestrado Vinculação do Adulto com Polineuropatia Amiloidotica Familiar.pdf888,48 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.