Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/4284
Título: Caraterização da Saúde Mental numa população jovem dos Açores
Outros títulos: da psicopatologia ao bem-estar
Autor: Monte, Kelly Pavão
Orientador: Fonte, Carla
Alves, Sónia
Palavras-chave: Jovens
Saúde mental positiva
Depressão
Ansiedade
Stress
Young adults
Positive mental health
Depression
Anxiety
Data de Defesa: 2014
Editora: [s.n.]
Resumo: Em termos históricos, a investigação da saúde mental alicerçou-se nos pressupostos teóricos do modelo médico, que a define como a ausência de doença mental ou psicopatologia. Recentemente, a Organização Mundial de Saúde (WHO, 2005) definiu a saúde mental como “um estado de bem-estar no qual o indivíduo realiza as suas próprias capacidades, pode lidar com o stress normal da vida, trabalha de forma produtiva e frutífera e é capaz de dar um contributo a si ou à sua comunidade”. Esta definição associa-se ao modelo de saúde, para o qual a saúde mental, para além da ausência de doença mental, envolve o bem-estar, designada por alguns autores de saúde mental positiva (Keyes, 2005). Neste sentido, apresenta-se um estudo, que tem como objetivo caraterizar a saúde mental de jovens adultos açorianos relativamente à doença mental/psicopatologia e à saúde mental positiva/bem-estar. Neste estudo, participaram 157 jovens adultos com idades compreendidas entre os 18 e os 30 anos, residentes na ilha de São Miguel, Açores. Os dados foram recolhidos com recurso a um Questionário Sócio-Demográfico, à Versão Portuguesa da Escala de Bem-Estar Mental de Warwick-Edinburgh (WEMWBS), à Escala Continuum de Saúde Mental-Versão Reduzida (Adultos) (MHC-SF) e à Escala de Ansiedade, Depressão e Stress (EADS-21). Globalmente, os resultados evidenciam que os participantes apresentam baixos níveis de psicopatologia, nomeadamente depressão, ansiedade e stress e, altos níveis de bem-estar/saúde mental positiva. Em suma, estes resultados ressaltam a importância de promoção da saúde mental.
Historically, the investigation of mental health based its foundations on the theoretical assumptions of the medical model, which defines it as the absence of mental illness or psychopathology. Recently, the World Health Organization (WHO, 2005) defined mental health as "a state of well-being in which the individual realizes his own abilities, can cope with the normal stresses of life, work productively and fruitfully and is able to make a self contribution or one for is own community". This definition is associated with health model, for which mental health beyond the absence of mental illness, involves the well-being, designated by some authors of positive mental health (Keyes, 2005). In this sense, we present a study that aims to characterize the mental health of young azorean adults relatively to mental illness/psychopathology and positive mental health/well-being. This study involved 157 young adults aged 18 to 30 years, residents on São Miguel’s island, Azores. Data was collected using a sociodemographic questionnaire, Warwick-Edinburgh Mental Well-being Scale (WEMWBS), Mental Health Continuum-Short Form (MHC-SF) and the Depression Anxiety and Stress Scale (DASS-21). Overall, the results suggest that participants have low levels of psychopathology, including depression, anxiety and stress, and high levels of positive mental health/well-being. In sum, these results highlight the importance of mental health promotion.
Descrição: Dissertação apresentada à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para a obtenção do grau de Mestre em Psicologia, ramo de Psicologia Clínica e da Saúde
URI: http://hdl.handle.net/10284/4284
Aparece nas colecções:FCHS (DCPC) - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese final.pdf992,99 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.