Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/4034
Título: Trajetórias de Crianças Pautadas pela Violência Interparental
Autor: Soares, Liliana Isabel Moreira da Silva
Orientador: Sani, Ana Isabel
Data de Defesa: 2013
Editora: [s.n.]
Resumo: A proliferação de investigações, quer teóricas quer empíricas, visando compreender o impacto da violência interparental no ajustamento da criança, tem contribuído para a desconstrução das barreiras que sustentavam a invisibilidade, científica e social, deste flagelo social. Porém, ainda que no plano internacional o estudo da exposição da criança à violência interparental tenha aumentado exponencialmente, especificamente em Portugal, o investimento científico no estudo deste fenómeno é ainda recente e escasso. Paralelamente, é possível constatar-se que neste domínio prevalecem as investigações quantitativas focalizadas no impacto da exposição à violência, de modo que muitas perguntas sobre a vida dessas crianças continuam sem resposta, uma vez que continua a existir pouca investigação empírica que se debruce sobre a experiência subjetiva da criança. Deste modo, a presente investigação pretende analisar o discurso de crianças expostas à violência interparental e compreender de que forma a experiência de vitimação afetou as suas perceções no que concerne à perceção que têm de si mesmas, do significado de violência, da mãe e respetivas práticas educativas maternas. Adicionalmente, e com o intuito de complementar a análise, optámos por comparar as perceções das crianças com as das respetivas mães, quanto à experiência de vitimação das suas crianças, uma vez que a vivência destas crianças nem sempre é coincidente com o que é percecionado pelas progenitoras. Para o efeito constituiu-se uma amostra de doze participantes (seis crianças com experiência de exposição à violência interparental, com idades compreendidas entre os seis e os dez anos, e respetivas progenitoras), os quais foram submetidos a uma entrevista semiestruturada em profundidade, para posterior análise dos dados segundo os preceitos da Grounded Analysis. Os resultados reforçam a posição inicial de que a exposição à violência interparental tem um impacto negativo no ajustamento psicossocial da criança, sendo este fortemente influenciado pelos significados que as crianças atribuem às suas experiências de vitimação. Ainda que o acesso ao discurso interno do sujeito e a possibilidade de triangulação das fontes se revistam de particular relevo para a compreensão mais aprofundada do impacto da violência interparental nas crianças, no presente estudo não se notaram diferenças significativas entre os relatos das crianças e os relatos das progenitoras. Com este trabalho pretendemos reforçar a contínua investigação nesta área, no sentido de promover uma maior consciencialização, social e científica, sobre a extensão e severidade do fenómeno em epígrafe.
The proliferation of theoretical and empirical research to understand the impact of interparental violence on child’s adjustment, has contributed to the deconstruction of barriers that held the invisibility, scientific and social, of this social scourge. However, although internationally the study of children's exposure to interparental violence has increased exponentially, specifically in Portugal, the scientific investment in studying this phenomenon is recent and still scarce. In parallel, it can be seen up in this area prevail the quantitative studies focused on the impact of exposure to violence, so that many questions about the lives of these children remain unanswered, since there is still little empirical research about child’s subjective experience. Thus, the current investigation aims to analyze the speech of children exposed to interparental violence and understand how the experience of victimization affected their perceptions regarding their perception of themselves, the meaning of violence, the mother and respective educational practices. Additionally, in order to complement the analysis, we chose to compare the perceptions of the children with the respective mother’s perceptions of their children’s victimization, since these children’s experience isn’t always coincident with what is perceived by their mothers. For this purpose a sample of twelve participants was constituted (six children with experience of exposure to interparental violence, with ages between six and ten years, and their respective mothers), which were underwent an in-depth semi-structured interview, to further analysis of the data according to the precepts of Grounded Analysis. The results reinforce the initial position that exposure to interparental violence has a negative impact on children’s psychosocial adjustment, which is strongly influenced by the meanings that children attach to their victimization experiences. Although access to the internal discourse of the subject and the possibility of triangulation of sources is of particular importance for the better understanding of the impact of interparental violence on children, in the current study we found no significant differences between children's and mother’s reports. With this work we intend to strengthen the ongoing research in this area, to promote greater social and scientific awareness of the extent and severity of the phenomenon in epigraph.
Descrição: Dissertação apresentada à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para a obtenção do grau de Mestre em Psicologia, Ramo de Psicologia Clínica e da Saúde
URI: http://hdl.handle.net/10284/4034
Aparece nas colecções:FCHS (DCPC) - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TESE - Liliana Soares.pdf1,1 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.