Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/3976
Título: Nanocápsulas obtidas por automontagem eletrostática como sistemas de libertação controlada de fármacos
Autor: Alves, Dany Michel Taveira
Orientador: Barreira, Sérgio
Palavras-chave: Camada por camada
Nanocápsulas
Entrega de fármacos
Libertação controlada
Nanotecnologia
Layer-by-layer
Nanocapsules
Drug delivery
Controlled release
Nanotechnology
Data de Defesa: 2013
Editora: [s.n.]
Resumo: As formas farmacêuticas convencionais possuem inconvenientes que incluem baixa biodisponibilidade, baixa estabilidade in vivo, baixa solubilidade e absorção intestinal, dificuldades na entrega sustentada e direcionada para o local de ação, fraca eficácia terapêutica, efeitos laterais, e causam flutuações na concentração plasmática que, por via disso, ou fica abaixo da mínima eficaz, ou excede a terapêutica segura. A nanotecnologia surge como uma abordagem alternativa para superar estes desafios, através do desenvolvimento e fabrico de nanoestruturas que podem vir a funcionar como as formas farmacêuticas do futuro. Desde a última década do século XX, vários grupos investigam cápsulas transportadoras obtidas por automontagem de polieletrólitos. Essas cápsulas de dimensão nanométrica são fabricadas pela técnica de deposição camada a camada de polieletrólitos com base em interações eletrostáticas sobre um molde esférico que é subsequentemente removido. São extremamente versáteis na sua construção podendo incorporar moléculas para interagirem com recetores celulares específicos por forma a atuarem somente no local alvo. O seu carregamento com a molécula de interesse é facilmente levado a cabo e a libertação do fármaco pode também ser facilmente modulada por diversos estímulos químicos, físicos e biológicos. Estas nanocápsulas têm também a vantagem de possuírem alta eficiência de encapsulação do fármaco, baixo teor de excipiente em comparação com as formas farmacêuticas convencionais, proteção da substância incorporada através do invólucro polimérico contra fatores de degradação tais como pH e luz, e a redução da irritação dos tecidos vivos, também devido ao invólucro polimérico. Em suma as nanocápsulas obtidas por montagem camada a camada com base em interações eletrostáticas parecem reunir todas as características necessárias para resolver dois grandes problemas de uma forma farmacêutica: entregar o agente terapêutico num local específico, durante um período de tempo também específico. Já foram desenvolvidos estudos para utilização de nanocápsulas obtidas por automontagem com base em interações eletrostáticas para os mais variados tipos de substâncias ativas e das mais diversas classes, desde anti-inflamatórios a antineoplásicos, passando por antidiabéticos e ADN. Estes estudos já realizados parecem indicar que a utilização das nanocápsulas para libertação controlada de substâncias ativas pode oferecer inúmeras vantagens em relação às formas de dosagem convencionais, uma vez que podem aumentar a atividade terapêutica dos fármacos e, ao mesmo tempo, diminuir os seus efeitos secundários, reduzindo assim o número de doses necessárias durante o tratamento. Antevê-se assim, que estes novos métodos de libertação de fármacos possam permitir às empresas farmacêuticas reformular medicamentos existentes no mercado, alargando assim a vida dos produtos, melhorando o seu desempenho, aceitabilidade, aumentando a eficácia, bem como a segurança e aderência do paciente e, consequentemente reduzir os custos dos cuidados de saúde. Podem ainda ser de grande utilidade no tratamento de doenças crónicas como o cancro, SIDA e a diabetes. Conventional dosage forms have several drawbacks including low bioavailability, low in vivo stability, poor solubility and intestinal absorption difficulties in sustained and targeted delivery to the site of action, weak therapeutic efficacy, side effects, and cause fluctuations in the plasma concentration that, make it fall below the minimum effective, or exceed the safe therapeutic level. Nanotechnology appears as a promising approach to overcome these challenges through the development and manufacture of nanostructures that may function as dosage forms of the future. Since the last decade of the twentieth century, several research groups focused their efforts to the development of capsule carriers obtained by self-assembly of polyelectrolytes. These nanoscale capsules are manufactured by the technique layer-bylayer deposition of polyelectrolytes based on electrostatic interactions over a spherical template, which is subsequently removed. They are extremely versatile in its construction and may incorporate molecules to interact with specific cellular receptors in order to act only at the target site. The loading with the molecule of interest is easily carried out and the drug release can also be easily modulated by different biological, chemical and physical stimuli. These nanocapsules have also the advantage of having high drug encapsulation efficiency, low content of excipient, compared to the conventional pharmaceutical forms, protecting the incorporated substance through the polymeric shell against degradative factors such as pH and light, and reduced irritation of living tissues, also due to the polymeric shell. In short, nanocapsules obtained by assembling layer by layer based on electrostatic interactions seem to meet all the necessary features to solve two major issues in a pharmaceutical form: to deliver the therapeutic agent at a specific location and for a specific period of time. Studies have been developed in order to assess the use of nanocapsules obtained by selfassembly based on electrostatic interactions as carriers for various sorts of active substances and of different therapeutic classes, including, for example, antiinflammatory, anticancer, antidiabetic and DNA. These studies seem to indicate that the use of nanocapsules for the controlled release of active substances may offer numerous advantages over conventional dosage forms, since they can increase the therapeutic activity of the drugs decreasing, at the same time their side effects, thereby reducing the number of doses needed during treatment. So it is predictable that these new methods of drug delivery can enable pharmaceutical companies to reformulate existing drugs on the market, thus extending the life of products, improving their performance, acceptability, increasing the effectiveness and safety and adherence patients and consequently reduce the costs of health care. They may also be useful in the treatment of chronic diseases like cancer, AIDS and diabetes.
Descrição: Projeto de Pós-Graduação/Dissertação apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Ciências Farmacêuticas
URI: http://hdl.handle.net/10284/3976
Aparece nas colecções:FCS (DCF) - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Nanocápsulas Obtidas por Automontagem Eletrostática como Sistemas de Libertação Controlada de Fármacos.pdf5,52 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.