Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/3745
Título: Inovações no tratamento de micoses
Autor: Freitas, Marisa Alexandra Silva
Orientador: Cerqueira, Fátima
Data de Defesa: 2012
Editora: [s.n.]
Resumo: Entre a grande variedade de fungos conhecidos, dos 250 mil descritos na natureza, cerca de duzentos são capazes de provocar micoses. A grande maioria dos agentes é de origem ambiental, infetando seres humanos e animais por inalação, ingestão ou inoculação direta. As micoses revestem-se da maior importância na atualidade, pois a sua incidência tem aumentado nas últimas décadas, sobretudo em doentes com vírus de imunodeficiência humana (VIH), imunossupreções induzidas por tratamento de várias doenças, imunodeficiências primárias, nutrição parenteral, transplantes, cancro, debilitados em geral e uso excessivo de drogas antibacterianas e corticosteroides, além de outras condições, como o aumento do número de viagens internacionais, exposição ambiental e algumas profissões. Os fungos podem produzir infeções assintomáticas em indivíduos imunocompetentes, apresentando manifestações clínicas não-detetáveis, doenças leves e/ou graves. Os fungos são patógenos verdadeiros ou oportunistas. Nos indivíduos imunocomprometidos, os quadros clínicos, muitas vezes, diferem dos tradicionalmente conhecidos. Na maioria dos casos, as micoses não são diagnosticadas adequadamente. O diagnóstico alicerça-se na identificação dos fungos por exame micológico direto, de cultura em meios seletivos, de microcultura em lâminas e na identificação de metabólitos por testes bioquímicos. No futuro, a biologia molecular pela amplificação do Ácido desoxirribonucleico (ADN) por reação da cadeia de polimerase permitirá obter diagnósticos mais precisos do agente etiológico. Diversas intervenções a nível de prevenção, criação de métodos de diagnóstico, avanços na resposta à terapêutica, entre outras, serão sugestões para investigações futuras. Deste modo, existe uma necessidade constante de atualização e progressão no conhecimento e no tratamento da doença, sendo um dos objetivos deste trabalho. Desta forma este trabalho tem como objetivos aprofundar e quantificar conhecimentos sobre esta temática de modo a que o Farmacêutico de oficina possa prevenir a morbilidade e mortalidade dos doentes.
Descrição: Projeto de Pós-Graduação/Dissertação apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Ciências Farmacêuticas.
URI: http://hdl.handle.net/10284/3745
Aparece nas colecções:FCS (DCF) - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
PPG_MarisaFreitas.pdf350,67 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.