Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/3710
Título: Estudo de prevalência das agenesias dentárias, numa população de pacientes da Clínica da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade Fernando Pessoa
Autor: Malta, Ana Margarida Afonso
Orientador: Silva, Carlos
Data de Defesa: 2012
Editora: [s.n.]
Resumo: Introdução: A ausência congénita de um ou mais dentes é a anomalia de desenvolvimento dentário mais comum no Homem (Vastardis, 2000). O conhecimento da sua prevalência torna-se indispensável na compreensão da sua importância clínica, relacionada com o desequilíbrio provocado no sistema Estomatognático, manifestando-se na desarmonia oclusal, funcional e estética. Objetivo: Determinar a Prevalência das Agenesias Dentarias, numa população de pacientes da Clínica Pedagógica de Medicina Dentaria da Faculdade Ciências da Saúde da Universidade Fernando Pessoa. Métodos: Foram selecionados registos clínicos de 250 pacientes da Clínica Pedagógica de Medicina Dentaria da Faculdade Ciências da Saúde da Universidade Fernando Pessoa, que frequentaram as consultas correspondentes à Unidade Curricular serviços de Odontopediatria e Ortodontia. Segundo os critérios de exclusão e inclusão, foram considerados apenas 241 pacientes (amostra do estudo), com idades compreendidas entre os 7 e os 18 anos de idade. O diagnóstico de agenesia dentária foi feito a partir da análise das radiografias panorâmicas contidas nos processos clínicos e a consulta das fichas clínicas, procedendo-se à recolha de dados sobre idade (anos), sexo (Feminino, Masculino), existência de agenesia (sim, não) e sua localização (número do(s) dente(s)). Resultados: Na amostra de 241 pacientes (53,53% do sexo feminino e 46,47% do sexo masculino), obteve-se uma prevalência de agenesias dentárias de 32,8%, incluindo os terceiros molares e 14,9%, excluindo estes dentes. Excluindo os terceiros molares, 61,4% apresentam agenesia de dois dentes; os dente mais frequentemente ausentes foram os incisivos laterais superiores (24,1% (dente 1.2) e 21,5% (dente 2.2)); a prevalência por sexos foi 41,7% (masculino) e 58,3% (feminino); segundo as arcadas dentárias verificou-se 14,9% de agenesias no maxilar superior e 8,7% no inferior); a bilateralidade das agenesias ocorreu em 55,7% dos casos de agenesia e 44,3% ocorreram agenesias unilaterais; a bilateralidade dos incisivos laterais maxilares, foi a mais frequente. Conclusão: A prevalência das agenesias dentárias, excluindo os terceiros molares de 14,9% foi, relativamente elevada. O dente mais frequentemente ausente, excluindo os terceiros molares, foi o incisivo lateral superior, está de acordo com estudos anteriormente publicados. As agenesias apresentam um padrão de severidade leve, visto que em média se verificou ausência foi de dois dentes por pessoa. As diferenças de prevalência relativas aos sexos e arco, não se revelaram estatisticamente significativas. A ocorrência da bilateralidade, foi a forma mais frequente, nomeadamente, nos incisivos laterais maxilares. Introduction: Congenital absence of one or more teeth is the most common teeth development anomaly in humans (Vastardis, 2000). Knowledge of its prevalence is indispensable in understanding its clinical importance, related to the imbalance caused in the Stomatognathic System, manifesting as oclusal, functional and aesthetic disharmony. Objective: To determine the prevalence of tooth agenesis in a patient population of Pedagogical Clinic of Dentistry, Faculty of Health Sciences of Fernando Pessoa University. Methods: We selected clinical records of 250 patients of the Pedagogical Clinic of Dental Medicine, Faculty of Health Sciences at the University Fernando Pessoa, who attended Pediatric Dentistry and Orthodontics services. According to the inclusion and exclusion criteria we included only 241 patients (study sample), aged between 7 and 18 years old. The diagnosis of tooth agenesis was made from the analysis of panoramic radiographs and medical records and it was collected data on age (years), sex (Male, Female), agenesis existence (yes, no) and its location (number (s) of the tooth (s)). Results: In the sample of 241 patients (53.53% female and 46.47% male), we obtained a prevalence of tooth agenesis of 32.8%, including the third molars and 14.9% excluding these teeth. Excluding third molars, 61.4% of cases had agenesis of two teeth, the teeth most often missing were the upper lateral incisors (24.1% (1.2 tooth) and 21.5% (2.2 tooth)); prevalence by sex was 41.7% (male) and 58.3% (female), according to the dental arches 14.9% of agenesis were found in the upper jaw and 8.7% in the lower jaw; 55.7% agenesis were bilateral and 44.3% were unilateral, maxillary lateral incisors, was the most frequent bilateral agenesis. Conclusion: The prevalence of tooth agenesis, excluding third molars, was relatively high (14.9%). The most frequently missing tooth, excluding third molars, was the maxillary lateral incisor, which is consistent with previously published studies. Agenesis showed a pattern of mild severity, since it was found the absence of two teeth per person on average. Differences in prevalence related to gender and dental arches, were not statistically significant. The bilateral occurrence of agenesis was more frequent than unilateral agenesis, particularly in maxillary lateral incisors.
Descrição: Projeto de Pós-Graduação/Dissertação apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Medicina Dentária
URI: http://hdl.handle.net/10284/3710
Aparece nas colecções:FCS (DCM) - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Ana Margarida Afonso Malta.pdf764,07 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.