Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/3637
Título: Perceção dos enfermeiros sobre a exaustão do cuidador informal
Autor: Oliveira, Inês Pinto Barros de
Orientador: Santos, José Manuel dos
Palavras-chave: Perceção dos enfermeiros
Exaustão
Cuidador informal
Perception of nurses
Exhaustion
Informal Caregivers
Data de Defesa: 2012
Editora: [s.n.]
Resumo: Ao longo dos séculos, com a evolução da medicina e dos cuidados de enfermagem, a esperança média de vida aumentou e, por consequência, a população mundial também. Morrem menos crianças à nascença, devido a uma maior vigilância nos partos e as pessoas vivem mais anos. O número de idosos não para de aumentar e a natalidade diminuiu. Os cuidados aos idosos são cada vez mais, pois a necessidade e a dependência aumentam com a idade e muitos deles são portadores de doenças crónicas. Existe, por isso, necessidade acrescida de recorrer a pessoas que cuidem destes idosos. Muitas vezes, como não existe poder monetário para pagar a um cuidador qualificado, a um profissional de saúde ou a um lar, são os próprios familiares que tomam conta e cuidam destes idosos. Estes cuidadores chamam-se “cuidadores informais”. Trata-se de pessoas, muitas vezes, com filhos, cônjuge e emprego que, de um momento para outro, são postos à prova quanto à sua estrutura de vida. A prestação de cuidados pelo cuidador informal é considerada uma atividade desgastante, com repercussões ao nível físico, psicológico e social, resultado de um conjunto de tarefas que estes prestam e na mudança de vida que este papel representa. Ser cuidador informal implica um elevado gasto de energia e de tempo, um conflito constante com outros papéis familiares e sociais e uma grande sobrecarga psicológica que frequentemente provoca exaustão, depressão, esgotamento e stress crónico. Neste sentido, com o intuito de conhecer a perceção que os enfermeiros têm sobre a exaustão do cuidador informal, foram definidos os seguintes objetivos de investigação: i) saber se existe exaustão nos cuidadores informais; ii) saber se os cuidadores informais têm apoios e, se sim, quais são e onde podem ser encontrados; iii) saber se o vínculo relacional entre o cuidador informal e o doente influência o aparecimento da exaustão; iv) conhecer o conceito que os enfermeiros têm de cuidador informal; v) perceber se ser cuidador informal traz problemas de ordem pessoal e/ou familiar no próprio cuidador informal; vi) compreender o papel que o enfermeiro pode ter no alívio de exaustão do cuidador informal e vii) perceber as estratégias que devem orientar o papel do enfermeiro na prevenção de exaustão do cuidador informal. O presente estudo de investigação foi do tipo qualitativo, exploratório, transversal. A população foi constituída por seis enfermeiros (que exercem funções num ACES da cidade do Porto). Como instrumento de recolha de dados, utilizou-se a entrevista semiestruturada e foram selecionados enfermeiros através de uma amostragem não probabilística. Os resultados deram a resposta aos objetivos de investigação inicialmente definidos. No tratamento de dados, utilizou-se a análise de conteúdo, tendo por base os discursos dos enfermeiros que cuidam e assistem os cuidadores informais. A partir da análise, emergiram categorias (e subcategorias) que identificam estas vivências e as suas dificuldades, reações emocionais, adaptação e gestão desta temática/problemática que é a exaustão dos cuidadores informais. Através da transcrição e da análise dos dados colhidos, pudemos concluir, entre outros, que o enfermeiro tem um papel preponderante na prevenção da exaustão do cuidador informal, pois deve ter disponibilidade para aconselhar, ensinar orientar para que tal não aconteça. Over the centuries and the evolution of medicine and nursing, the world population has increased and, consequently, the average life expectancy too. Fewer children die at birth due to increased vigilance in childbirth and people living longer. The number of elderly is rising and birth rates are declining. Care for the elderly is increasing, as the need and dependence increases with age and many are suffering from chronic diseases. There is, therefore, a need for people who take care of the elderly. Often, as there is no power to pay money to a qualified caregiver, to a health professional or a home, their own relatives are the ones who look after and care for these elderly. These caregivers are called Informal Caregivers. These people, often with children, spouse and job, from one moment to another, are on trial for their life structure. The care of the Informal Caregiver is considered a strenuous activity, with repercussions on the physical, psychological and social outcome of a set of tasks that they provide and the life change that this paper represents. Being Informal Caregiver requires a high expenditure of energy and time, a constant conflict with other social and family roles, a great psychological burden that often leads to exhaustion, depression, exhaustion and chronic stress. In this sense, in order to know the perception that nurses have on the exhaustion of the informal caregivers were asked the following research objectives: i)Understand that there is exhaustion in the informal caregivers; ii) Know which support informal caregivers have, if so, what and where to be found; iii) Determine whether the relational bond between the informal caregiver and the patient influences the onset of exhaustion; iv) Establish the concept that nurses have of informal caregivers; v) Recognize if the informal caregiver brings personal problems and / or family in their own informal caregiver; vi) Understand the role that nurses can take to relieve the informal caregiver exhaustion; vii) Understand the strategies that should guide the nurse's role in preventing exhaustion of informal caregivers. This research study was a qualitative, exploratory cross. The population consists of six nurses exercising their profession in ACES, in the county and district of Porto .As an instrument of data collection, we used a semi-structured interview and nurses were selected through a non-probability sampling. The results gave the answer to the questions and the research goals initially set. In data processing, we used content analysis, based on the speeches of the nurses who care for and assist informal caregivers. From the analysis, categories emerged which identify these experiences and their difficulties, emotional reactions, adaptation and management of this problem, which is the exhaustion of informal caregivers. As a result of these categories, there was a need to create subcategories to better define them. Through the transcription and analysis of the data collected, we can conclude that the nurse has an important role in preventing the exhaustion of informal caregivers. Consequently, nurses should be available to advise, teach and guide informal caregivers.
Descrição: Projecto de Graduação apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Licenciada em Enfermagem
URI: http://hdl.handle.net/10284/3637
Aparece nas colecções:ESS (DCETS) - Outros Trabalhos Académicos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Monografia Ines de Oliveira versão final 28-06-2012.pdf506,93 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.