Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/3455
Título: Camões transformado e re-montado
Outros títulos: o caso de Herberto Helder
Autor: Torres, Rui
Palavras-chave: Herberto Helder
Camões
Intertextualidade
Releitura
Data: 2006
Citação: Callema. Lisboa. ISSN 1646-2963. 1 (2006) 58-64.
Relatório da Série N.º: Callema;1 (2006)
Resumo: Uma das tendências da poesia experimental portuguesa é o questionamento da tradição literária, invocando desse modo uma discussão acerca do que se entende por inovação. Retextualizações de obras consideradas clássicas tornam-se nesse âmbito estratégias de renovação e tradução, como se verificou nas transformações operadas com a obra de Luís Vaz de Camões. O objectivo deste artigo é apresentar uma dessas releituras, aquela que propõe Herberto Helder na primeira parte do poema Tríptico, de 1961, em “‘Transforma-se o amador na coisa amada’, com o seu”. Outros autores serviriam o propósito: desde as variações temáticas de Ana Hatherly sobre um vilancete de Camões, publicadas no Anagramático, em 1970; as modalidades de reescrita de textos clássicos que Pedro Barbosa realizou com os programas ‘Texal’ e ‘Permuta’, em 1975, com uma intenção de reelaboração crítica de textos clássicos, introduzindo-lhes variações de sentido; o livro Re-Camões, de E. M. de Melo e Castro, de 1980, totalmente dedicado à tarefa de des(cons)truir o grande poeta; e vários textos de Alberto Pimenta, que absorvem e transpiram o autor dos Lusíadas.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10284/3455
ISSN: 1646-2963
Aparece nas colecções:FCHS (DCEC) - Artigos em Revistas Científicas Nacionais com Arbitragem Científica

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Torres - Camões transformado e remontado.pdf1,5 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.