Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/2803
Título: O fantástico de Edgar Poe na poética de Mário Sá-Carneiro
Autor: Hilário, Fernando
Palavras-chave: Poe
Sá-Carneiro
Descoberta
Desejo
Apropriação-inovação
Discovery
Desire
Appropriation-innovation
Data: 2010
Editora: Edições Universidade Fernando Pessoa
Citação: Revista da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais. Porto. ISSN 1646-0502. 7 (2010) 80-91.
Relatório da Série N.º: Revista da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais;7 (2010)
Resumo: «a “angústia da influência” de Harold Blom parece ser evidente em Sá-Carneiro, e traduzir- -se-á na oscilação entre a sedução da descoberta e o desejo de apropriação-inovação – há como que uma consciência que o leva, por um lado, a não desbaratar o legado que o fascina e, por outro, a inflectir no sentido da transformação, reconvertendo, parcial ou totalmente, a matéria significante de outrem numa plástica sua.» “Essencialmente, o que aproxima Poe e Sá-Carneiro, ou o que entre eles coincide, é o desejo de a obra ser em absoluto o triunfo de uma estética discursiva ou sígnica, isto é, a capacidade inventiva de criar um logos, em ruptura com o instituído, que instale a desordem para uma ordem outra, que cause estranheza, e acabe, eventualmente, por se constituir em escândalo para uns e elevação para outros, como aconteceu com Eureka, do poeta do Corvo, e desde logo em Orpheu 1 e 2, respectivamente, com Indícios de Oiro e Poemas Sem Suporte, de Mário de Sá-Carneiro“. “the “anguish of the influence” from Harold Bloom seems to be evident in Sá-Carneiro, and it will appear in the balancing between the discovery seduction and the wish of appropriation- innovation – there is a kind of consciousness that takes him, on the one hand, not to waste the legacy that fascinates him and, on the other hand, to move towards some transformation, converting partially or totally, someone else’s significant matter into its own plastic art”. What makes Poe and Sá Carneiro similar, or what they have in common, is the wish to create the absolute triumph of a discursive or semiotic aesthetics, that is, the inventive capacity to create a logos against the established, which installs the disorder for another order. This may cause strangeness and may eventually lead to a scandal for some, and fulfillment for others, as it has happened with Eureka, by the poet of The Raven , as well as with Orpheu 1 e 2, respectively with Indícios de Oiro and Poemas Sem Suporte, by Mário de Sá-Carneiro.
URI: http://hdl.handle.net/10284/2803
ISSN: 1646-0502
Aparece nas colecções:FCHS - Número 07 (2010)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
80-91.pdf695,7 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.