Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/2610
Título: Comparação entre dois métodos de remoção de compósito após tratamento ortodôntico
Autor: Pinto, Gustavo Ferraz Vieira
Orientador: Pinho, Mónica Morado
Data de Defesa: 2011
Editora: [s.n.]
Resumo: Objectivo: 1. Comparar a eficácia de dois métodos diferentes de remoção do compósito de colagem de braquetes, após tratamento ortodôntico e analisar/quantificar as lesões induzidas no esmalte pela utilização dos dois métodos de remoção. 2. Avaliar as lesões produzidas pela simples descolagem dos braquetes e quantificar a quantidade de compósito que se mantém aderido ao dente após a descolagem dos braquetes, antes da aplicação de qualquer um dos métodos de remoção de compósito. Revisão da literatura: Utilizando as palavras-chave: “methods to remove orthodontic brackets” e “brackets AND removal techniques” e com recurso à Pubmed e Science Direct foram considerados os trabalhos que avaliavam e comparavam a eficácia assim como as lesões no esmalte resultantes da remoção de braquetes ortodônticos. Material e métodos: Critérios de inclusão/exclusão: Molares extraídos por outras causas que não o compromisso coronário por cárie ou outros factores e que se mantiveram armazenados à temperatura ambiente, submersos em soro fisiológico, até à data de inicio do estudo. Dentes com lesões prévias de esmalte foram excluídos. Foram seleccionados 23 molares que obedeciam aos critérios descritos. Preparação dos dentes: 1. Limpeza e polimento da superfície de esmalte; 2. Exame com lupa macroscópica da coroa dos dentes para assegurar a ausência de cáries e fendas nas superfícies vestibular e lingual; 3. Lavagem e secagem da superfície de esmalte; 4. Colagem dos braquetes. Noventa e dois braquetes de aço inoxidável foram colados em dentes molares devidamente armazenados. O método de colagem dos braquetes será de acordo com as indicações do fabricante. Uma vez colados os braquetes, os dentes foram distribuídos aleatoriamente pelos seguintes dois grupos de avaliação: Grupo A: Grupo em que se procedeu à remoção do compósito utilizando pedras de Arkansas (baixa rotação); Grupo B: Grupo em que se procedeu à remoção do compósito utilizando brocas multilaminadas de tungsténio (baixa rotação). Descolagem dos braquetes: Os braquetes foram descolados não antes de 15 dias após a sua colagem. Após a descolagem dos braquetes procedeu-se à quantificação da quantidade de compósito que se manteve aderido ao dente e analisada a presença/ausência de lesões de esmalte induzidas pela simples descolagem. Após a remoção dos braquetes foram então utilizados os dois métodos de remoção de compósito anteriormente enunciados. O tempo de remoção e eficácia de cada método foram registados. Foi cronometrado o tempo de remoção com os diferentes métodos, com um limite de tempo de 45 segundos, como forma de avaliação da eficácia. Uma vez terminados os 45 segundos, foram analisadas e quantificadas com uma lupa macroscópica as lesões advindas do procedimento. Resultados: Em relação ao IAR após aplicados os métodos de remoção de compósito, podemos concluir que não houve diferenças estatisticamente significativas entre os dois métodos de remoção. No que diz respeito ao IRS, existiram diferenças estatisticamente significativas entre os dois métodos, sendo que o método pedra de Arkansas apresentou em todas as superfícies menor rugosidade do que o método com brocas de carboneto de tungsténio. Objective: 1. Compare the efficiency of two different methods of removal of composite for bracket bonding after orthodontic treatment and analyse/quantify the lesions induced in enamel by using the two methods of removal. 2. Evaluate the lesions produced simply by the debonding procedure and quantify the quantity of composite that remains attached to the tooth after removing the brackets, and before using any method of removing the composite. Literature review: Using the key-words: “methods to remove orthodontic brackets” and “brackets AND removal techniques” and using Pubmed and Science Direct were researched scientific articles that evaluated and compared the efficiency as well as lesions in enamel resulting from the removal of orthodontic brackets. Material and methods: Inclusion/exclusion criteria: Molars extracted by other causes than coronary commitment by caries or other factors which were kept stored at room temperature submerged into sodium chloride solution until the start date of the study. Teeth with previous lesions in the enamel will be excluded. 23 molars were selected who met the criteria outlined. Preparation of the teeth: 1. Cleaning and polishing of the teeth 2. Examination of the teeth with a magnifying glass to ensure the absence of caries and cracks on the lingual and buccal surface. 3. Cleaning and drying the teeth. 4. Bracket bonding procedure. Ninety-two brackets of stainless steel were bonded in molar teeth properly stored. The bonding method will be according to the manufacturer´s indications. Once the brackets are bonded, the teeth will be distributed randomly by the following evaluation groups: Group A: Removal of the composite using Arkansas stone (low speed); Group B: Removal of the composite using multi-blade tungsten burr (low speed). Debonding procedure: The brackets were debonded not before 15 days after the bonding. After the debonding process the quantity of composite that remains adhered to the tooth was quantified and the presence/absence of lesions on the enamel as result of this process will be analysed. After bracket removal were then used the two methods of removing the composite set out above. The time of removal with the different methods was recorded, with the time limit of 45 seconds, as a way to assess effectiveness of the method. Once completed the 45 seconds of the procedure, were analyzed and quantified with a magnifying glass the lesions resulting from the procedure. Results: As for the ARI applied after the composite removal methods, we can conclude that there was no statistically significant differences between the two methods of removal. For the SRI, there were statistically significant differences between the two methods, of which the method Arkansas stone on all surfaces showed lower surface roughness than the method with tungsten carbide burs.
Descrição: Trabalho apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Medicina Dentária
URI: http://hdl.handle.net/10284/2610
Aparece nas colecções:FCS (DCM) - Outros Trabalhos Académicos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TM_16827.pdf985,35 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.