Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/2609
Título: Implantes curtos VS Implantes standard na região posterior da maxila e da mandíbula
Autor: Ferreira, Susana Filipa de Almeida
Orientador: Pinho, Mónica Morado
Data de Defesa: 2011
Editora: [s.n.]
Resumo: As regiões posteriores da mandíbula e da maxila podem representar áreas de osso insuficiente para a colocação de implantes dentários de comprimento standard. Neste contexto os implantes dentários curtos podem representar uma opção de tratamento que permite evitar técnicas cirúrgicas invasivas. Alguns autores consideram que esta opção de tratamento em situações específicas é uma opção previsível. O objectivo principal deste estudo foi comparar as taxas de sobrevivência dos implantes curtos e dos implantes de comprimentos standard colocados nas regiões posteriores da maxila e da mandíbula e avaliar as possíveis causas de fracasso dos respectivos implantes. Neste sentido, foi realizado um estudo clínico retrospectivo, em clínicas privadas dedicadas exclusivamente à prática da Implantologia, em Portugal e Espanha, através do preenchimento de inquéritos, por via electrónica. Para a elaboração deste trabalho foi, ainda realizada uma pesquisa bibliográfica através do motor de busca Pubmed e nas bibliotecas da Universidade Fernando Pessoa e Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto Dos 188 implantes avaliados, a maioria correspondeu a pacientes do sexo feminino (59%), idades superiores a 45 anos (70%) e a pacientes não fumadores (65%). Destes 188 casos, 55% dos implantes foram colocados na maxila posterior e 45% na mandíbula posterior, em osso Tipo 3 (54%) e Tipo 4 (46%). Todos os implantes em estudo apresentavam uma superfície tratada e a maioria dos implantes avaliados corresponderam a implantes standard (58%) e destes os mais utilizados foram os de 10 mm (35%). Os implantes curtos corresponderam a 42% dos casos e destes, a maioria correspondeu a implantes de 8 mm de comprimento (31%). A taxa de sobrevivência para a amostra em estudo foi de 99%. Dentro das limitações do estudo podemos concluir que com o tratamento da superfície dos implantes, o desempenho dos implantes curtos apresenta-se equivalente ao dos implantes de comprimento standard, mesmo em situações de má qualidade óssea, e desta forma, a limitação do uso de implantes curtos parece já não apresentar fundamento. The posterior regions of the mandible and the maxilla may represent areas of insufficient bone dental implants of standard length. In this context short dental implants may represent a treatment option that avoids invasive surgical techniques. Some authors consider that this treatment option in specific situations is an expected choice. The main objective of this monograph was to compare the survival rates of short implants and implants placed in standard lengths of the posterior maxilla and mandible and to evaluate possible causes of failure of their implants. To this effect, we performed a retrospective clinical study in private clinics dedicated exclusively to the practice of Implantology in Portugal and Spain, by filling out surveys electronically. To accomplish this work was also carried out a literature search using the Pubmed search engine and libraries at the University Fernando Pessoa and School of Dental Medicine, University of Porto Of the 188 implants evaluated, the majority were females (59%), aged above 45 years (70%) and non-smoking patients (65%). Of these 188 cases, 55% of the implants were placed in the posterior maxilla and posterior mandible in 45%, bone type 3 (54%) and type 4 (46%). All implants in the study had a treated surface and most of the implants evaluated corresponded to standard implants (58%) and of these the most used were 10 mm (35%). The short implants accounted for 42% of cases and of these, most implants corresponded to 8 mm in length (31%). The survival rate for the study sample was 99%. Within the limitations of the study we can conclude that with the treatment of the surface of the implants, the performance of short implants has to be equivalent to the implants of standard length even in situations of poor bone quality and thus limiting the use of short implants appears not to be support anymore.
Descrição: Trabalho apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Medicina Dentária.
URI: http://hdl.handle.net/10284/2609
Aparece nas colecções:FCS (DCM) - Outros Trabalhos Académicos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TM - 16483.pdf707,05 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.