Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/257
Título: Empresas Familiares - Governo e Sucessão
Autor: Pires, Nuno Ribeiro
Data de Defesa: 2006
Editora: [s.n.]
Resumo: Quando parti para este trabalho, estava convencido de que o executaria num período de tempo não muito longo, o que para mim significava menos de um ano. Esta minha convicção resultava do facto de o tema me ser duplamente próximo – por um lado, a minha experiência no acompanhamento e no desenvolvimento de um projecto empresarial familiar e o conhecimento que possuía do pensamento e dos estudos desenvolvidos pelos mais diversos autores internacionais sobre o tema das empresas familiares em geral, por outro. Porém, a experiência tornou-se uma realidade bem diferente: umas vezes, a falta de tempo para me dedicar a este trabalho, por razões profissionais, familiares e sociais; outras, devido a falsas chegadas ao final do trabalho, porque as leituras que concomitantemente ia fazendo, abriam novas janelas de reflexão, que me faziam compreender o quanto muitas das teorias que conhecia estavam desadequadas relativamente à actual realidade da envolvente das empresas, quer nos seus aspectos competitivos, resultantes da globalização, quer até em termos sociais, no que concerne ao que são as obrigações das empresas para com a sociedade em que se inserem e para com o Mundo, ao nível da sua responsabilidade social, que não se compadece com uma visão míope de que nas empresas, mesmo nas familiares, os seus proprietários têm legitimidade ilimitada para conduzirem a governação e a disposição, mesmo quando estas prejudicam a sociedade em diferentes planos – concorrencial, económico-fiscal, ambiental ou de segurança. A par de tudo isto, sucederam-se as notícias sobre acontecimentos na vida de grupos empresariais familiares conhecidos – uns de amigos, outros de pessoas conhecidas, quer pela proximidade, quer pela notoriedade pública –, que se têm dividido e autonomizado, na fase em que a terceira geração começa a chegar à vida profissional e a desenvolvê-la na própria empresa, não obstando a que tal aconteça, a existência de instrumentos formais tendentes a estabelecer um bom entendimento entre a família e a empresa. Talvez porque se trata de um trabalho solitário, o tempo passa depressa e fica sempre a sensação de que este está longe do fim, a que acresce a desactualização resultante da experiência diária e da dinâmica de mudança acelerada que se opera neste mundo globalizado, xiii Empresas Familiares – Governo e Sucessão que obriga as empresas a encontrarem novas oportunidades e a inovarem nos produtos e nas estratégias de abordagem do mercado. O presente trabalho iniciou-se com uma revisão da bibliografia sobre empresas familiares, principalmente oriunda de autores estrangeiros, devido à pouca literatura existente em língua portuguesa. Dos trabalhos científicos investigados, resultou para este estudo uma sistematização das principais questões que se vivem nas empresas familiares, estruturadas em três grandes temas: - O primeiro, sobre as empresas familiares, em que se procura apresentar, de uma forma geral, a definição, os conceitos e as fases da vida destas empresas. - Um segundo, em que se aborda o problema da governação das empresas familiares, num enquadramento de gestão e de boas práticas, bem como da responsabilidade social que lhes está associada e que muitas já assumem. - Um terceiro, no qual a sucessão é tratada quanto à sua importância crucial para a continuidade destas empresas, em que o conflito eclode frequentemente pela emotividade que a mesma gera. Da revisão bibliográfica, resultaram um conjunto de questões de pesquisa, as quais foram aplicadas num estudo de campo, efectuado a 41 empresas do sector metalúrgico, metalomecânico e de comércio de produtos siderúrgicos, realizado através de um inquérito, tendo os resultados sido tratados com recurso ao software «SPSS», obtendo-se análises de frequências, variáveis e de «clusters». Em consequência da análise de «clusters» efectuada e da circunstância de aparecer um «cluster» constituído por uma única empresa, entendeu-se pela importância de proceder ao estudo de caso dessa empresa, sendo esta a Ferpinta. No trabalho desenvolvido, deu-se maior ênfase ao estudo dos temas já anteriormente abordados na revisão bibliográfica, nomeadamente quanto à sua governação e sucessão. De toda a investigação efectuada apresentam-se conclusões que se pretendem que sejam novos paradigmas para as empresas familiares, bem como uma proposta de acções a desenvolver na Ferpinta, podendo estas ser aplicáveis a empresas familiares de cariz semelhante. xiv Empresas Familiares – Governo e Sucessão O estudo apresenta naturalmente limitações que se explicitam e suscita novas questões para investigação futura.
Descrição: Dissertação de Mestrado apresentada à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Ciências Empresariais.
URI: http://hdl.handle.net/10284/257
Aparece nas colecções:FCHS (DCEC) - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Não existem ficheiros associados a este registo.


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.