Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/2478
Título: Estudo do efeito protector do própolis de origem portuguesa na danificação oxidativa em eritrócitos humanos
Autor: Baltazar, Ana Filipa Marques Almeida
Orientador: Carvalho, Márcia
Data de Defesa: 2010
Editora: [s.n.]
Resumo: O própolis é uma mistura complexa de substâncias resinosas de ampla utilidade para as abelhas e para o homem. O desenvolvimento crescente de novas técnicas analíticas tem permitido um considerável avanço na química dos produtos naturais, assim como na elucidação de suas estruturas moleculares. A composição química do própolis é complexa e está relacionada com a flora da região em que foi originada e a época da colheita. As suas actividades farmacológicas têm sido atribuídas aos compostos fenólicos, entre eles flavonóides e ácidos fenólicos, cujos teores têm sido propostos como parâmetros para o controle da qualidade. Devido às inúmeras propriedades benéficas do própolis, o seu uso comercial em produtos farmacêuticos, cosméticos e de higiene pessoal na forma de extractos líquidos é vasto. O presente trabalho teve como objectivo avaliar a actividade antioxidante do própolis de origem portuguesa em sistemas biológicos, utilizando como modelo celular in vitro o eritrócito humano. Pretendeu-se assim estudar o papel protector de extractos metanólicos obtidos do própolis proveniente de duas regiões portuguesas distintas, Bornes (Nordeste de Portugal) e Fundão (Centro de Portugal), relativamente aos danos oxidativos induzidos por radicais livres em eritrócitos humanos. O 2,2´-azo-bis(2-amidinopropano) (AAPH) é um sistema gerador de radicais livres peroxilo no meio extracelular que atacam a membrana eritrocitária causando várias alterações oxidativas, as quais foram avaliadas neste estudo pela libertação de hemoglobina (hemólise) e pela peroxidação dos lípidos da membrana dos eritrócitos. Os resultados obtidos neste estudo mostram que ambos os extractos protegem significativamente a membrana dos eritrócitos da hemólise induzida pelo AAPH, de um modo dependente da concentração de extracto e do tempo de incubação. No entanto, o extracto de própolis de Bornes apresentou um efeito anti-hemolítico superior ao do própolis do Fundão, sendo o valor de IC50 determinado para o extracto de Bornes após três horas de incubação de 6,3 ± 0,7 μg/mL e de 10,4 ± 2,7 μg/mL para o do Fundão. Dada a reconhecida actividade antioxidante do ácido ascórbico, a actividade anti-hemolítica dos extractos de própolis foi comparada com a do ácido ascórbico (IC50 de 31,0 ± 5,6 μg/mL), tendo-se verificado um efeito antioxidante significativamente superior para os extractos de própolis. A extensão da peroxidação lipídica foi avaliada pela formação de malonildialdeído (MDA), que é conhecido como um produto carbonilo do dano lipídico oxidativo. Sob a acção oxidativa do AAPH, os eritrócitos humanos tratados com os extractos de própolis diminuíram significativamente a acção do AAPH de um modo dependente da concentração de extracto. Os valores de IC50 para os extractos do própolis de Bornes e do Fundão foram respectivamente de 8,1 ± 2,3 e 9,7 ± 2,3 μg/mL. Os resultados deste estudo mostram que o própolis de origem portuguesa apresenta um considerável potencial antioxidante e sequestrador de radicais livres, o que sugere a sua eventual aplicação na prevenção e/ou tratamento de diversas situações patológicas em que os radicais livres estão envolvidos. Propolis is a complex resinous bee product with great interest to bees and humans. The increasing development of new analytical techniques allowed a considerable advance in the chemistry of natural products, as well as the elucidation of their molecular structures. The chemical composition of propolis is complex and is related to the flora of the region they originated and the time of harvest. Their pharmacological activities have been attributed to phenolic compounds, including flavonoids and phenolic acids, whose contents have been proposed as parameters for quality control. Due to the numerous beneficial properties of propolis, its commercial use in pharmaceuticals and cosmetics in the form of liquid extracts is broad. In this study, the antioxidant potential of propolis samples from Bornes (Northeast) and Fundão (Centre) regions of Portugal was evaluated by their ability to inhibit the 2,2´-azobis(2-amidinopropane) dihydrochloride (AAPH)-induced oxidative hemolysis and lipid peroxidation in human erythrocytes. Bornes and Fundão propolis strongly protected the erythrocyte membrane from hemolysis (IC50 of 6.3 ± 0.7 and 10.4 ± 2.7 μg/ml, respectively), in a time- and concentration-dependent manner. This effect was found to be significantly higher than that presented by ascorbic acid (IC50 of 31.0 ± 5.6 μg/ml). In addition, human erythrocytes treated with propolis extracts showed concentration-dependent decrease in levels of malondialdehyde, a breakdown product of lipid peroxidation. Overall, these findings support Portuguese propolis as a promising therapeutic agent in the prevention of diseases mediated by free radicals.
Descrição: Trabalho apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Ciências Farmacêuticas.
URI: http://hdl.handle.net/10284/2478
Aparece nas colecções:FCS (DCF) - Outros Trabalhos Académicos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
T_15753.pdfTrabalho817,6 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.