Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/2471
Título: Crataegus sp., uma planta com interesse terapêutico
Autor: Costa, Joana Filipa Silva da
Orientador: Medeiros, Rui
Data de Defesa: 2011
Editora: [s.n.]
Resumo: As plantas medicinais são usadas como recurso terapêutico em vários países de condições sócio-económicas distintas. Na Europa, países como a Alemanha, a França e o Reino Unido recorrem cada vez mais a este género de terapêutica em detrimento da forma convencional, a que facilmente têm acesso. Em real contraste, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), 65 a 80% da população que vive em países sub-desenvolvidos depende essencialmente das plantas nos cuidados de saúde primários (Calixto, 2000). O declínio do interesse pela fitoterapia em meados do século XX provocado pela ascenção da indústria farmacêutica e avanços nas tecnologias do DNA (ácido desoxirribonucleico), contrastou com o renovado interesse nos anos 80, altura em que surgiram novas pesquisas para identificação de novas substâncias bioactivas (Ortiz, 2003; Alves, 2001). As plantas do género Crataegus (popularmente conhecido em Portugal como pirliteiro), estão amplamente distribuídas no globo terrestre e apresentam mais de 280 espécies, sendo as mais comuns C. monogyna e C. oxyacantha. A sua composição química rica em flavonóides e procianidinas tornam Crataegus um poderoso adjuvante da terapêutica cardiovascular, ao aumentar o fluxo sanguíneo coronário através da indução do relaxamento das artérias. Desta forma, o extracto de Crataegus foi aprovado pela comissão E para tratamento e redução dos sintomas provocados pela insuficiência cardíaca classe I e II. Outras propriedades têm vindo também a ser atribuídas a estas plantas, tais como propriedades hipotensoras, hipolipidémicas, antioxidantes, anti-ateroescleróticas, anti-inflamatórias, gastro-protectoras, hepatoprotectoras, antitumorais, antimicrobianas e antivirais. As plantas pertencentes a este género são “seguras”, provocando efeitos adversos transitórios suaves a moderados. A ausência de interacções registadas entre o consumo destas plantas e os fármacos que melhoram a função cardíaca torna Crataegus numa boa opção como suplementação da terapêutica convencional instituída a doentes cardíacos. Medicinal plants are used as therapeutic resource in many countries from different socio-economic conditions. In Europe, countries like Germany, France and United Kingdom are increasingly turning to this kind of therapy over the conventional therapies, which are more easily accessible. In real contrast, according to WHO (World Health Organization), 65 to 80% of the population living in underdeveloped countries depends primarily on the plants as primary health care (Calixto, 2000). The decline of interest in herbal medicine in the mid-twentieth century caused by the rise of the pharmaceutical industry and the discover of DNA (deoxyribonucleic acid), contrasted with the renewed interest in the 80’s, when it emerged further research to identify new bioactive substances (Ortiz, 2003; Alves, 2001). The genus Crataegus popularly known in Portugal as Hawthorn, is widely distributed on the globe and features more than 280 species, the most common are C. monogyna and C. oxyacantha. Its chemical composition particularly rich in flavonoids and procyanidins Crataegus become a powerful adjunct to cardiovascular therapy, by increasing coronary blood flow by inducing relaxation of the artheries. The extract of Crataegus was approved by E committee for the treatment and reduction of symptoms caused by heart failure class I and II. Other properties have also been attributed to the plants; studies show hypotensive, hypolipidemic, antioxidant, anti-atherosclerotic, anti-inflammatory, gastroprotective, hepatoprotective, antitumor, antimicrobial and antiviral properties. Plants belonging to this genus are “safe”, causing mild to moderate adverse effects. The absence of recorded interactions between the consumption of these plants and drugs that improve cardiac functions turns Crataegus into a good choice as a supplement to conventional therapy applied to cardiac patients.
Descrição: Trabalho apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Ciências Farmacêuticas.
URI: http://hdl.handle.net/10284/2471
Aparece nas colecções:FCS (DCF) - Outros Trabalhos Académicos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TM_11023.pdf640,56 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.