Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/231
Título: Characterization of Coal Maceral Groups by Micro-Raman Spectroscopy
Autor: Valentim, B.
Guedes, A.
Prieto, A. C.
Lemos de Sousa, M. J.
Data: 2004
Editora: Universidade Eduardo Mondlane. Faculdade de Ciências
Citação: Revista da Faculdade de Ciências. 1 (Edição Especial) (2004) 318-325.
Relatório da Série N.º: Revista da Faculdade de Ciências
N.1 (Edição Especial) (2004)
Resumo: Uma caracterização rápida e não-destrutiva da organização estrutural do material carbonoso pode ser conseguida através da espectroscopia micro-Raman, uma vez que podem ser obtidos espectros de áreas micrométricas. Uma aplicação óbvia desta técnica é a caracterização pontual de macerais do carvão. As análises de espectroscopia micro-Raman efectuadas em diferentes grupos macerais do mesmo carvão revelam, para além da presença dos habituais picos aos 1580 cm-1 e 1350 cm-1 no espectro de primeira ordem, dois picos de fraca intensidade: um próximo dos 1170 cm-1 nos macerais do grupo da inertinite e outro aos 1470 cm-1 nos macerais de vitrinite e liptinite. Os diferentes grupos macerais apresentam várias diferenças no espectro de primeira ordem, um estreitamento do pico 1580 cm-1 e seu deslocamento para números de onda mais elevados da vitrinite para a liptinite e inertinite; um deslocamento do pico 1350 cm-1 para números de onda mais baixos da vitrinite para a liptinite e para a inertinite, conjuntamente com o seu estreitamento na inertinite e um ligeiro aumento da razão entre a intensidade dos picos 1350/1580 da vitrinite para a inertinite e para a liptinite. A fast and non-destructive characterization of the local state of carbonaceous material may be achieved with a micro-Raman spectrometer, since spectra from micrometric areas can be recorded. Therefore, this technique can obviously be applied for characterization of coal macerals. Raman spectral analysis performed on different coal maceral groups of the same coal reveals not only the presence of the usual peaks at 1580 cm-1 and 1350 cm-1on the first-order Raman spectrum, but also the presence of two additional weaker peaks, one around 1170 cm-1 in inertinite and another around 1470 cm-1 appearing in vitrinite and liptinite. Differences of the first-order spectrum of the different macerals include a shift of the 1580 cm-1 peak towards higher wavenumbers accompanied by its narrowing from vitrinite to liptinite and inertinite; a shift of the 1350 cm-1 peak towards lower wavenumber from vitrinite to liptinite and to inertinite together with a small narrowing in the inertinite and a slight increase in the 1350/1580 peak intensity ratio from vitrinite to inertinite and to liptinite.
Descrição: Comunicação apresentada no 7º Congresso de Geoquímica dos Países de Língua Portuguesa, Maputo (Moçambique), Setembro 2003.
URI: http://hdl.handle.net/10284/231
Aparece nas colecções:3ERL - Congress and other Meeting Presentations/ Apresentações em Congressos e em Outras Reuniões

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Moçambique 2004.pdf193,16 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.