Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/1928
Título: Fitoterápicos
Outros títulos: uma visão geral na sociedade Portuguesa
Autor: Coelho, José Alberto Torres Escrivães
Orientador: Monteiro, Nuno
Data de Defesa: 2010
Editora: [s.n.]
Resumo: Nos últimos dez anos, as vendas de medicamentos à base de plantas tem subido consideravelmente, principalmente em países industrializados. O aumento da tendência de utilização deste tipo de medicamentos para o tratamento de um leque alargado de patologias tem sido promovido sobretudo (a) pelo surgimento de “novas” doenças para as quais ainda não existe tratamento definitivo, (b) a crença de que os medicamentos à base de plantas são inócuos em contraste com as drogas “convencionais” e (c) a ideia de que o que é natural é bom. Este conceito de segurança é, obviamente, falso, uma vez que estão já documentados inúmeros efeitos secundários associados ao consumo de medicamentos à base de plantas. Estes podem ser devidos aos efeitos inerentes ao consumo das próprias plantas, directamente relacionados com a sua toxicidade, interacção com outros compostos, reacções alérgicas e eventuais sobredosagens, e por outro lado existirão efeitos não directamente relacionados com as plantas, tais como problemas de identificação, variabilidade química, problemas na produção, falhas na estandardização, entre outros. O presente estudo teve como objectivo obter uma visão abrangente sobre a atitude da generalidade da população portuguesa perante os medicamentos à base de plantas, através da análise dos resultados de inquérito anónimo. A maioria da população portuguesa crê ainda que os medicamentos à base de plantas, pelo facto de serem naturais, não possuem qualquer tipo de efeitos secundários, ganhando esta constatação relevo quando se observa que a maior parte dos inquiridos já contactou com este tipo de medicamentos. Este contacto é feito primariamente de uma forma ocasional, o que dificultará sempre o estabelecimento de uma relação causa-efeito entre a toma de um medicamento à base de plantas e o aparecimento de efeitos secundários ou de interacções com os medicamentos convencionais. Quando questionados sobre os efeitos das plantas, a falta de informação foi notória. A actual situação geo-económica faz antever um aumento de investigação na área da Fitoterapia, tendo em vista o trinómio “qualidade, segurança e eficácia” que estes medicamentos requerem. Aos profissionais de saúde cabe a tarefa de alertar a população para as aplicações, e sobretudo para os efeitos indesejáveis dos fitoterápicos, eliminando definitivamente o mito de que o que é natural é inócuo. During the last decade, plant based medicine sales increased considerably, mainly in developed countries. This trend, which consists in the use of this kind of medicinal alternatives for the treatment of distinct pathologies, is supported by (a) the emergence of “new” diseases for which no definitive treatment exists, (b) the belief that plant based medicinal products are harmless when compared to traditional medicine and (c) the notion that natural products are always better. This safety concept is obviously false since numerous side effects have been widely documented. These include effects due to the plants themselves, directly related to their intrinsic toxicity, interactions with foreign compounds, allergic reactions and high dosages, as well as effects not directly related to plants such as misidentification problems, chemical variance, production problems and standardization flaws, among others. The main aim of this study was the development of a clear vision on the attitude of the Portuguese populations towards plant based medicinal products through the analysis of an anonymous query. The general population still believes that plant based medicine, deriving from natural products, has no side effects. This gains a whole new relevance if the fact that most of the inquired individuals already used these products is taken into consideration. This usage is mainly done only in an occasional basis, a trend that will ultimately turn almost impossible the linking of a cause-effect relationship between the use of plant-based medicine and the emergence of side effects or interactions with conventional drugs. When questioned on the side effects of plant usage, the lack of information was evident. The current geo-economic situation easily allows the forecast of an upraise in phytotherapy-related investigation, ultimately addressing the much required “quality, security and efficiency” trinomial. The important task of alerting the general population to the applications and, above all, the undesired effects of plant-based medicine, sits on the shoulders of health care professional, who should fight to definitely eliminate the myth that “natural products are safe products”.
Descrição: Monografia apresentada à Universidade Fernando Pessoa para obtenção do grau Licenciado em Ciências Farmacêuticas
URI: http://hdl.handle.net/10284/1928
Aparece nas colecções:FCS (DCF) - Outros Trabalhos Académicos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
MONO_9764.pdf673,22 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.