Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/1758
Título: Des Hommes, des grands carnivores et des grands herbivores
Outros títulos: une approche anthropologique et comparative internationale
Autor: Alves, João Pedro Galhano
Data: 2003
Editora: Edições Universidade Fernando Pessoa
Citação: Antropológicas. Porto: Edições Universidade Fernando Pessoa. ISSN 0873-819X. 7 (2003) 75-114.
Relatório da Série N.º: Antropológicas
7 (2003)
Resumo: Normalmente, a estrutura funcional dos ecossistemas continentais é constituída por produtores primários, consumidores primários, consumidores secundários, grandes carnívoros, decompositores e grupos humanos. Esta estrutura corresponde ao estado de biodiversidade total. Porém, actualmente a maioria dos ecossistemas do planeta estão desestruturados. Com efeito, a maior parte deles foi considerávelmente destruída, e está em estado de biodiversidade baixa ou minimal. Na origem desta situação encontram-se actividades humanas de sociedades históricamente dominantes, agrárias ou tecno-industriais. Esses ecossistemas assim humanizados e essas sociedades não são sustentáveis a prazo. A análise de ecossistemas humanizados de biodiversidade total, alta, baixa ou minimal, bem como a análise das estruturas socioculturais e técnicas de integração de distintas sociedades com o meio ambiente, permitem conceber estratégias de restauração dos ecossistemas e de criação de modos de vida sustentáveis, capazes de tecer sinergias com a vida selvagem. Este artigo é ilustrado com dois exemplos de coexistência entre sociedades humanas e a biodiversidade alta ou total, por nós estudados nas regiões da Reserva de Tigres de Sariska (Índia) e do Parque Natural de Montesinho (Portugal). Primary producers, primary consumers, secondary consumers, large carnivores, decomposers and human groups normally constitute the functional structure of the continental ecosystems. This is the structure of a state of total biodiversity. However, at present, the majority of the planet’s ecosystems are de-structured, as many of them were considerably destroyed and therefore their biodiversity is low or minimal. This was caused by human activities of historically dominant agrarian or techno-industrial societies. Such humanised ecosystems and such societies are not sustainable in the long term. The analysis of humanised ecosystems, as well as the analysis of technical and socio-cultural structures for the integration of different societies with the environment enables the creation of strategies for restoring and for sustaining ecosystems. This paper presents two cases in which human societies and high or total biodiversity coexist: the region of the Sariska Tigers Reserve (India) and the Natural Park of Montesinho (Portugal).
URI: http://hdl.handle.net/10284/1758
ISSN: 0873-819X
Aparece nas colecções:Nº 07 (2003)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
75-114.pdf252,16 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.