Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/1701
Título: Lewis’s Istra and Frazer’s Ishtar
Outros títulos: Cults and rituals in C.S. Lewis’s Till We Have Faces (1956)
Autor: Kuteeva, Maria
Data: 2000
Editora: Edições Universidade Fernando Pessoa
Citação: Antropológicas. Porto. ISSN 0873-819X. 4 (2000) 99-111.
Relatório da Série N.º: Antropológicas
4 (2000)
Resumo: Este artigo examina a influência de The Golden Bough (1890-1915) de Sir James Frazer no último romance de C.S. Lewis Till We Have Faces (1956). O primeiro é um ensaio de antropologia subtitulado “um estudo em magia e religião”, enquanto o último é um romance com subtítulo “um mito recontado”. O foco principal deste artigo reside nas descrições de crenças e práticas religiosas, em particular a temática mítica da mãe divina e seu filho/amante. A relação Frazer-Lewis pode ser vista como um exemplo forte das ligações íntimas entre a academia do século dezanove e a ‘mitopoeia’ do século vinte. Assim, Frazer e Lewis aparecem como criadores de mitos e como antropólogos: Frazer começa como um antropólogo, mas acaba a sua escrita com algo que pode ser visto como uma colecção literária de mitos, enquanto Lewis, criador de mitos, se torna um antropólogo em seu mundo imaginado. This paper examines the influence of Sir James Frazer’s Golden Bough (1890-1915) upon Till We Have Faces (1956), the last novel of C. S. Lewis. The former is a research in anthropology subtitled ‘a study in magic and religion’, whereas the latter is a novel subtitled ‘a myth retold’. The main focus of this article is on the descriptions of religious beliefs and practices, particularly the motif of the divine-mother-and-son/lover. The author argues that the Frazer-Lewis connection can be seen as a strong example of intimate links between nineteenth-century scholarship and twentieth-century mythopoeia. Thus both Frazer and Lewis appear to be mythmakers and anthropologists: Frazer starts as an anthropologist, but ends up writing what in a way can be seen as a literary collection of myths, whereas Lewis-the-mythmaker becomes an anthropologist in his own imaginary world.
URI: http://hdl.handle.net/10284/1701
ISSN: 0873-819X
Aparece nas colecções:Nº 04 (Ago. 2000)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
99-111.pdf144,49 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.