Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/1629
Título: Factores que levam a mulher a interromper voluntariamente a gravidez
Outros títulos: um estudo no Centro Hospitalar Póvoa de Varzim/Vila do Conde, E.P.E.
Autor: Costa, Ana Matilde Macedo Azevedo
Orientador: Sousa, Lucília
Data de Defesa: 2009
Editora: [s.n]
Resumo: A monografia apresentada, surgiu devido ao elevado interesse da autora pela área em questão. O aborto é um problema milenar, há referências na Bíblia, mas a despenalização em Portugal é recente, por isso este é um tema actual e pertinente de ser estudado. Após escolhido o tema desenvolveu-se todas as etapas relativas ao processo de investigação. Como tal, efectuou-se a pesquisa bibliográfica, a escolha da metodologia a implementar, feita a colheita de informações necessárias, neste caso através de um questionário e finalmente uma análise e discussão dos resultados obtidos, etapas estas fulcrais no desenvolvimento íntegro deste trabalho. Assim, o objectivo do presente estudo foi identificar os factores que levam a mulher a interromper voluntariamente a gravidez no Centro Hospitalar da Póvoa do Varzim/Vila do Conde, E.P.E. (C.H.V.V.C.). A identificação dos factores que levam a mulher a interromper voluntariamente a gravidez, é um excelente meio para melhorar os cuidados de saúde nesta área pois, ao desenvolver-se esta matéria, poderemos actuar na prevenção das gravidezes indesejadas. A prevenção cabe essencialmente aos enfermeiros, desenvolvendo o tema nas consultas de Planeamento Familiar (P.F.) e na Saúde Escolar, através de Educações para a Saúde na área da Sexualidade. A metodologia utilizada no estudo foi de índole quantitativa, mediante a aplicação de um questionário elaborado pela autora. O estudo é do tipo descritivo, para uma amostra de vinte e cinco mulheres que recorreram à consulta de Interrupção Voluntária da Gravidez (I.V.G.) (autorização do C.H.P.V.V.C. em Anexo II). Considerando a amostra em questão, a maioria das mulheres são solteiras, sem filhos, a frequentar ou já com o 12º ano de escolaridade, vivem em meio rural e encontram-se na faixa etária dos 26-30. Relativamente às causas que as levaram a interromper a gravidez, a maioria delas respondeu que não queria esta gravidez e a totalidade referiu que não tinha abortado anteriormente. Quando questionadas sobre se pudessem decidir de novo, tomariam a mesma decisão, 88 optou pelo sim. É de salientar que a totalidade das mulheres mencionou que recebeu toda a informação sobre a I.V.G. através do médico e foram encaminhadas para consultas de P.F.. Importante também é o facto de a maioria tomava a pílula quando engravidou, mas se esqueceu de tomar. Este trabalho, para além da investigação que pretende dar resposta a uma solicitação académica cooperou para um crescimento pessoal e profissional significativo.
Descrição: Monografia apresentada à Universidade Fernando Pessoa para obtenção do grau Licenciada em Enfermagem
URI: http://hdl.handle.net/10284/1629
Aparece nas colecções:FCHS (DCEC) - Outros Trabalhos Académicos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
MONO_AnaCosta.pdf15,28 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.