Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/1624
Título: Automedicação praticada por Alunos da Licenciatura em Enfermagem
Autor: Mendes, Elisabete Manuela de Teles
Orientador: Alves, Francelina
Data de Defesa: 2009
Editora: [s.n.]
Resumo: A Automedicação tem-se tornado uma prática comum, principalmente após o aumento da lista de medicamentos de venda livre, sendo assim, da única e exclusiva responsabilidade dos consumidores desta prática. Tem-se também registado um aumento considerável desta prática entre os Universitários, em especial da área de saúde, principalmente os licenciados em Enfermagem. A Automedicação acarreta riscos a nível da Saúde Pública, tanto para o consumidor que a pratica como para o Sistema Nacional de Saúde, por possibilitar agravamento e dissimulação de doenças, interacções medicamentosas e até intoxicação. A enfermagem pode intervir a nível da Prevenção e na Educação para a Saúde para uma Automedicação Responsável. Deste modo, foi efectuada uma Investigação para dar a conhecer a realidade dos nossos colegas/alunos de Enfermagem da Universidade Fernando Pessoa em relação a esta prática. Tendo como objectivos: determinar a percentagem de alunos que recorrem à automedicação, que situações acarretam automedicação e o tempo que decorre desde a prática da Automedicação até à procura de um Profissional de Saúde aquando da não resolução do problema, identificar sob que orientações praticam automedicação, que informações dispõem antes de praticar automedicação e que conhecimentos têm dos riscos desta prática. Este estudo é de carácter Quantitativo, de tipo Exploratório-Descritivo de Nível 1 de conhecimento e Transversal. Para colheita de dados, o instrumento escolhido foi o questionário. Foi efectuado na Universidade Fernando Pessoa, a uma amostra de 60 alunos da Licenciatura de Enfermagem. Após a análise de dados verificou-se que a maioria dos alunos da Licenciatura em Enfermagem pratica Automedicação por orientação própria, por acreditar que possui conhecimentos para isso. Procurando, na sua maioria, o Profissional de Saúde após 3-7 dias se o medicamento não resolver o problema. As situações em que esta prática é mais frequente são “constipações/gripes”. Cefaleias e outras dores. Em relação aos conhecimentos por parte dos alunos da Licenciatura em Enfermagem sobre o medicamento, antes de praticar Automedicação, a totalidade dos alunos considera ter informações sobre indicações, contra-indicações e efeitos secundários. Pode também aferir-se que a maioria tinha conhecimentos sobre os riscos desta prática.
Descrição: Monografia apresentada à Universidade Fernando Pessoa para obtenção do grau Licenciada em Enfermagem
URI: http://hdl.handle.net/10284/1624
Aparece nas colecções:ESS (DCETS) - Outros Trabalhos Académicos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
MONO_ ElisabeteMendes.pdf16,43 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.