Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/1607
Título: Vectorização de péptidos e proteínas em sistemas coloidais lipídicos
Autor: Fangueiro, Joana Filipa Peixoto
Orientador: Souto, Eliana B.
Data de Defesa: 2010
Editora: [s.n.]
Resumo: O objectivo deste estudo é a compreensão do uso de sistemas coloidais lipídicos num contexto da tecnologia farmacêutica referente a péptidos e proteínas tendo como base o desenvolvimento de uma forma farmacêutica de libertação prolongada para administração oral contendo a hormona peptídica insulina, a avaliação da sua farmacocinética através da análise do tamanho de partícula por espectrofotometria de correlação fotónica e avaliação da sua toxicidade sobre Drosophila melanogaster. As nanopartículas de lipídeos sólidos (SLN) oferecem diversas vantagens, tais como serem uma alternativa não tóxica devido ao uso de lipídos fisiológicos, são um eficiente transporte de sistemas coloidais lipídicos, o seu processo de produção é rápido e eficaz e pode produzir-se a uma larga escala sendo também possível a produção de suspensões lipídicas altamente concentradas, uma vez que vão ser entregues especificamente ao órgão-alvo. Independentemente da via de administração, muitas proteínas terapêuticas não possuem características físico-químicas para serem absorvidas ou para atingir e penetrar as células-alvo, precisam que se ultrapasse as limitações para a sua entrega e aumentar o desempenho do fármaco. A fim de satisfazer esta condição, desenvolveu-se uma formulação de SLN neste estudo através do método da dupla emulsão descrito por Garcia-Fuentes (Garcia-Fuentes et al., 2002), que se baseia na incorporação de moléculas hidrófilas, como a insulina e evita qualquer stress térmico e químico nas proteínas incorporadas. Após a sua preparação, mediu- - se o seu tamanho através de espectrofotometria de correlação fotónica a 25ºC (PCS Malvern Zetasizer Nanoseries) para verificar se os tamanhos de partícula estariam adequados. Neste contexto, observou-se a existência de duas populações, em que aproximadamente 30% apresentou um tamanho de partícula de 1,0 x 10 3 nm e outra, aproximadamente 70% com 1,0 x 104 nm. Considerando as SLN como uma futura aposta para a administração de péptidos e proteínas, a tolerância in vivo e in vitro, são parâmetros essenciais. Deste modo, avaliou-se a toxicidade das formulações através de testes realizados em Drosophila. Os estudos efectuados não revelaram toxicidade significativa para as concentrações de insulina e placebo testados.
Descrição: Monografia apresentada à Universidade Fernando Pessoa para obtenção do grau Licenciada em Ciências Farmacêuticas.
URI: http://hdl.handle.net/10284/1607
Aparece nas colecções:FCS (DCF) - Outros Trabalhos Académicos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
MONO_14224.pdf964,07 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.