Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/1516
Título: A sobrecarga física, emocional e social dos cuidadores informais de idosos com demência
Autor: Loureiro, Nicole Vaz
Orientador: Madeira, Milton
Data de Defesa: 2009
Editora: [s.n.]
Resumo: As síndromes demenciais caracterizam-se por uma deterioração progressiva a nível cognitivo e psicológico/comportamental que interfere de forma significativa na qualidade de vida do doente, bem como do próprio cuidador informal que assume os seus cuidados. Cuidar de um doente com demência é um processo complexo e exigente que envolve situações e experiências potencialmente responsáveis por alterações na saúde e no bem-estar do cuidador informal, pois a prestação destes cuidados acarreta, frequentemente, alterações a nível físico, psicológico ou emocional, social e financeiro que provocam sobrecarga no cuidador informal. Neste sentido, o objectivo do presente estudo prende-se com a avaliação da sobrecarga física, emocional e social do cuidador em geral, bem como analisar a sua relação com as seguintes variáveis: estádio da demência do idoso, género, grau de parentesco para com o idoso e tempo de prestação de cuidados informais. Consequentemente, definiu-se um estudo correlacional, observacional e transversal. A amostra foi constituída por 32 cuidadores informais de idosos com diagnóstico de demência fundamentado. O material utilizado foi o Questionário Sócio-Demográfico, elaborado pela própria investigadora para recolher informação sócio-demográfica e de contexto clínico, e um questionário (QASCI) validado para a população portuguesa para avaliar a sobrecarga física, emocional e social dos cuidadores. Quanto aos principais resultados obtidos: (I) a sobrecarga emocional parece ser a dimensão mais afectada nos CIs em geral, bem como nos CIs homens e mulheres. No que diz respeito à relação da sobrecarga com as variáveis definidas, os resultados sugerem: (II) os níveis de sobrecarga não variam consoante os 3 estádios de demência (ligeiro, moderado e grave); (III) quando comparados apenas os CIs que cuidam de idosos com demência ligeira e grave, os primeiros experimentam sentimentos e emoções mais positivas decorrentes do desempenho do papel de CI e da relação afectiva estabelecida entre ambas as partes e, consequentemente, menos sobrecarga a este nível; (IV) as mulheres percepcionam uma maior sobrecarga nos domínios da sobrecarga objectiva, ou seja, despendem mais tempo na prestação de cuidados, vêem a sua saúde mais afectada e referem mais restrições sociais comparativamente com os homens; (V) cônjuges CIs têm menos sentimentos negativos associados à prestação de cuidados (sentimentos de manipulação, ofensa e embaraço com o doente) comparativamente com os filhos e outro grau de parentesco; (VI) os CIs filhos percepcionam e despendem mais tempo na prestação de cuidados, vêem a sua saúde mais afectada, referem mais restrições sociais, referem mais sentimentos negativos com os comportamentos por parte do doente e menos conhecimentos e experiência para desempenhar o seu papel de CI comparativamente com os CIs cônjuges; (VII) não existem diferenças estatisticamente significativas ao nível da sobrecarga do CI com a variável tempo de prestação de cuidados informais. Assim, os resultados sugerem, no geral, que os cuidadores informais apresentam níveis consideráveis de sobrecarga física, emocional e social. Dementia is characterized by a progressive deterioration of cognitive and psychological/behavioral functioning that interferes significantly in the quality of life of patients as well as of their informal caregiver. Taking care of patients with dementia is a complex and demanding process that entail’s situations and experiences which are potentially responsible for altering the well-being and health of the informal caregiver. Providing informal care to those patients brings, frequently, physical, psychological, emotional, social and financial alterations capable of provoking burden in the informal caregiver. In this sense, the aim of the present study is to evaluate the physical, emotional and social burden of the informal caregiver in general, as well as to analyze its relation with the next variables: dementia level, gender, degree of the relationship with the sick elderly and the duration of the informal care. Consequently, was defined a correlational, observational and a cross sectional study. The sample was constituted by 32 informal caregivers of elders with a sustained dementia diagnosis. The material used was a socio-demographic questionnaire, developed by this researcher in order to acquire sociodemographical and clinical information, and a questionnaire, validated for the Portuguese population, to evaluate the physical, emotional and social burden of the informal caregivers (QASCI). Regarding the relation of burden and the variables defined in this study the results suggest: (i) the emotional burden seems to be the most affected dimension in caregivers in general as well as in caregiving men and caregiving women; (ii) levels of burden doesn’t vary between the 3 stages of dementia (mild, moderate and severe); (iii) when compared only the caregivers who care for elderly people with mild and severe dementia, the first ones experience more positive feelings and emotions concerning the performance of the caregiver role and the affective relationship established between both parties, therefore they perceived less burden at this level; (iv) caregiving women, when compared with caregiving men, perceive more objective burden, spend more time in providing informal care, percieve their health most affected and relate more social restrictions; (v) spouse caregivers have less negative feelings associated with care (feelings of manipulation, harm and embarrassment with the patient) when compared with children or other caregivers; (vi) caregiving children, when compared with spouse caregivers, spend more time in care, percieve their health more affected, relate more social restrictions, report more negative feelings concerning the behavior of the demented elderly, and less knowledge and experience to carrying out her caregiver role; (vii) there is no statistically significant relation between caregiver burden and the duration of care. Thus, informal caregivers in general, exhibit considerable levels of physical, emotional and social burden.
Descrição: Dissertação apresentada à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Psicologia Clínica e da Saúde.
URI: http://hdl.handle.net/10284/1516
Aparece nas colecções:FCHS (DCPC) - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM_NicoleLoureiro.pdf5,47 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.