Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/1112
Título: Avaliação do impacto da saúde oral na qualidade de vida em indivíduos entre os 11 e os 14 anos de idade
Autor: Alves, Daniel Amorim de Melo Sá
Orientador: Gonçalves, Ana
Palavras-chave: saúde oral
qualidade de vida
CPQ
oral health
quality of life
Data de Defesa: 2009
Resumo: Introdução: O conceito de Saúde pode variar desde o funcionamento do corpo até ao estado completo de bem-estar. A Saúde pode ser vista como representação subjectiva do estado de bem-estar e não deve ser avaliada tão somente por indicadores somáticos, mas também por meio da compreensão de como as pessoas se sentem psicológica e fisicamente e como se relacionam e competem com outras no seu dia-a-dia. Na Medicina Dentária, já muitos estudos tentam mostrar a influência da Saúde Oral na Qualidade de Vida. Objectivos: Neste estudo pretende-se avaliar a percepção de adolescentes sobre a condição da sua Saúde Oral e o quão ela interfere na Qualidade de Vida tendo em consideração problemas orais, sentimentos e/ou sensações, ambiente escolar e actividades extra curriculares na companhia de amigos e familiares. Metodologia: Aplicou-se um questionário sobre a percepção que os impactos orais têm no desempenho diário a uma população entre os 11 e os 14 anos, sendo também registado os Índices CPOD e IPB. A variável dependente foi o Impacto da Saúde Oral na Qualidade de Vida colhida pelo Índice CPQ11-14. As variáveis independentes foram: a idade, o género, a condição de Saúde Oral segundo critérios normativos (CPOD e IPB), a percepção de Saúde Oral (baseada na auto-avaliação do paciente sobre a sua saúde oral) e a condição de bem-estar (relacionando o quão a condição de saúde oral afecta a vida em geral). Resultados: Na população estudada a prevalência de cárie dentária era de 74%, mostrando uma condição de Saúde Oral insatisfatória. No entanto 49% das crianças observadas apresentavam um bom Índice de placa bacteriana. Dos indivíduos estudados 70% considerou que a sua Saúde Oral era boa ou muito boa e 57% assinalaram que a sua condição de bem-estar em nada ou muito pouco era afectada pela condição dos seus dentes, lábios, maxilares ou boca. Numa escala de 0 a 148 o CPQ11-14 teve como valor médio 22 variando entre 2 e 82. Foram mencionados como principais impactos da Saúde Oral na Qualidade de Vida as “Limitações Funcionais” e os “Sintomas Orais”, seguindo-se o “Bem-estar Emocional” e depois o “Bem-estar Social”. Conclusões: Os indivíduos da amostra com cárie atribuíram um grau de Saúde Oral significativamente inferior aos indivíduos que não tinham cárie. De uma forma geral, as crianças com mais de 5 dentes cariados, perdidos ou obturados atribuíram maior impacto da Saúde Oral na Qualidade de Vida que as crianças com 5 ou menos dentes cariados, perdidos ou obturados. Os indivíduos do grupo etário 11-12 anos atribuíram um maior impacto da Saúde Oral na Qualidade de Vida que as crianças com idades entre os 13 e 14 anos. Palavras Chave: Saúde Oral, Qualidade de Vida, CPQ. The concept of Health can change from the working of the body to the state of complete wellbeing. Health can be seen as subjective representation of the well-being state and should not be judged solely by somatic indicators, but also through the understanding of how people feel physically and psychologically and how they relate and compete with others in their daily routine. In Dentistry, many studies try to show the influence of Oral Health on Quality of Life. This study aims to assess the perception of adolescents on the condition of their Oral Health and how it interferes with the Quality of Life in view of oral problems, feelings and / or sensations, school environment and extra curricular activities in the company of friends and family. A questionnaire about the perception of oral impacts on daily performance was applied to a population aged between 11 and 14 years old, and also noted the CPOD and IPB indices. The dependent variable was the Impact of Oral Health on Quality of Life collected by the CPQ11-14. The independent variables were: age, gender, the condition of Oral Health according to normative criteria (CPOD and IPB), the perception of Oral Health (based on selfevaluation of the patient about his/her oral health) and the condition of well-being (relating how the condition of oral health affects life in general). In this population the prevalence of dental caries was 74%, showing a condition of poor Oral Health. However, 49% of the observed children had presented a good index of plaque. 70% of subjects felt that their Oral Health was good or very good and 57% reported that their condition of well-being was little or nothing affected by the condition of their teeth, lips, jaw or mouth. On a scale from 0 to 148 the CPQ11-14 was to average 22 ranging between 2 and 82. The "Functional Limitations" and “Oral Symptoms” were mentioned as the main impacts of Oral Health in Quality of Life, followed by "Emotional Well-being" and then "Social Well-being". The subjects of the sample with caries have presented a degree of Oral Health significantly lower than in individuals who had no caries. In general, children with more than 5 teeth with caries, missing or filled ones have attributed greater impact to Oral Health on Quality of Life than children with 5 or less teeth with caries, missing or filled ones. Those in the age group between 11-12 years gave a greater impact to the Oral Health on Quality of Life than children aged between 13 and 14 years.
Descrição: Monografia apresentada à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau Licenciado em Medicina Dentária
URI: http://hdl.handle.net/10284/1112
Aparece nas colecções:FCS (DCM) - Outros Trabalhos Académicos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
mono_danielalves.pdf683,23 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.