Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/1034
Título: Estudo retrospectivo acerca do diagnóstico e tratamentos de dentística numa Clínica Universitária
Autor: Carvalho, Ana Lúcia Vasques
Orientador: Monteiro, Patrícia Manarte
Data de Defesa: 2009
Editora: [s.n]
Resumo: Face às várias evoluções inerentes às áreas de dentística e às diversas possibilidades de organizações curriculares nas áreas de graduação em Medicina Dentária é da maior importância analisar os resultados dos tratamentos restauradores realizados nas populações que usufruem de cuidados de saúde oral em clínicas universitárias. Este estudo transversal retrospectivo foi realizado através da recolha de dados das fichas de dentística da clínica da Universidade Fernando Pessoa e teve como objectivos principais descrever e caracterizar a população alvo, determinar a experiência de cárie dentária, a prevalência de lesões não cariosas e caracterizar os tipos de tratamentos restauradores directos efectuados. A amostra foi constituída por 1005 processos de pacientes. Destes, 61,8% e 38, 2% correspondem a indivíduos dos géneros feminino e masculino, respectivamente. A maioria dos pacientes (51,2%) apresenta idades entre os 31 e 60 anos, sendo que a idade média dos indivíduos de 37,7 anos. Os pacientes residem maioritariamente na região do Porto e de Vila nova de Gaia. O motivo que levou mais pacientes à consulta de dentística foi o tratamento de lesões cariosas (34,3%). Um número significativo de indivíduos (45,9%) não têm patologias sistémicas nem faz farmacoterapias. A média geral do índice de CPOD foi de 16,5 não sendo significativamente diferente do género nem da localidade dos pacientes, apenas varia significativamente conforme a faixa etária. A maxila comparativamente com a mandíbula apresentou uma maior prevalência de dentes cariados, perdidos, obturados, cáries recidivantes, extracções indicadas e ausentes sendo os dentes posteriores os mais afectados. A maioria das cáries são activas e em relação ao grau de estrutura afectada 59,0% são lesões superficiais, 88,7% médias e 95,2% são profundas. O tipo de lesões não cariosas mais frequente foi a atrição (29.5%). O estado de higiene oral dos indivíduos não é independente do género, sendo que as mulheres apresentam higiene oral boa em maior percentagem (67,1%) que os homens (32,9%). O grau de risco para a cárie dentária foi mais elevado no género feminino e na faixa etária entre os 31 e os 60 anos, não sendo independente da idade. O prognóstico geral dos indivíduos foi bom (52,6%), sendo que os indivíduos do género feminino apresentaram uma percentagem superior de prognóstico bom. Os tratamentos mais realizados foram definitivos (86,0%) e o material mais usado foi o compósito (76,5%).
Descrição: Monografia apresentada à Universidade Fernando Pessoa para obtenção do grau Licenciada em Medicina Dentária.
URI: http://hdl.handle.net/10284/1034
Aparece nas colecções:FCS (DCM) - Outros Trabalhos Académicos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
12115.pdf570,63 kBAdobe PDFVer/Abrir
Registos.pdf11,49 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.