Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10284/1000
Título: Ansiedade na gravidez
Outros títulos: estudo exploratório de possíveis determinantes da ansiedade em grávidas primíparas e multíparas
Autor: Costa, Célia Cristina de Oliveira
Orientador: Cunha, Luísa Rolim Simões da
Data de Defesa: 2004
Editora: [s.n.]
Resumo: A gravidez e a maternidade ocuparam, desde sempre, um lugar central em todas as épocas e em quase todas as culturas, sendo a gravidez encarada, do ponto de vista biológico, como o estado normal de uma mulher fértil, representando para qualquer mulher um momento de transformações físicas e psicológicas. No presente trabalho pretende-se estudar a ansiedade na gravidez e algumas variáveis que poderão influenciar a ansiedade em primíparas e multíparas: os medos em relação ao "self", o desejo de gravidez, a dependência em relação a terceiros, os medos em relação ao bebé, os sentimentos maternais e a irritabilidade. Num primeiro momento, são abordados os aspectos teóricos (os aspectos fisiológicos e psicológicos da gravidez e, em particular, a ansiedade na gravidez). Num segundo momento são abordados os aspectos relativos ao estudo empírico. O estudo foi realizado com uma amostra de 60 mulheres grávidas (30 primíparas e 30 multíparas), provenientes do Hospital Distrital da Figueira da Foz, do Centro de Saúde da Figueira da Foz/Buarcos e da Maternidade Bissaya Barreto (Coimbra), nas quais se procurou analisar a influência da ansiedade-traço, dos medos em relação ao "self", do desejo de gravidez, da dependência em relação a terceiros, dos medos em relação ao bebé, dos sentimentos maternais e da irritabilidade na ansiedade-estado das mesmas. Para além disso, tentou-se também verificar se existiam diferenças significativas entre primíparas e multíparas em relação às variáveis já referenciadas. Os principais resultados obtidos apontam para a não existência de diferenças significativas entre primíparas e multíparas, para a influência da ansiedade-traço na ansiedade-estado das multíparas, não se verificando contudo essa influência no grupo das primíparas, e para a influência da irritabilidade sobre a ansiedade-eatdo de ambos os grupos. Quando consideradas as grávidas, no seu conjunto, observamos que quer a irritabilidade, quer os sentimentos maternais influenciam a ansiedade-estado experienciada.
Descrição: Monografia apresentada à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para a obtenção do grau de Licenciada em Psicologia, especialização em Psicologia Clínica
URI: http://hdl.handle.net/10284/1000
Aparece nas colecções:FCHS (DCPC) - Outros Trabalhos Académicos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
5801.pdf5,82 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.